O fruto do Espírito não é individual, mas sim parte de um todo. E o apóstolo Paulo vai nos ensinar que para manter o pecado distante e a porta sempre fechada para ele, precisamos dos outros nos apoiando.

Em Gálatas 5:24-26 lemos: “Aqueles que pertencem a Cristo Jesus crucificaram as paixões e os desejos de sua natureza humana. Uma vez que vivemos pelo Espírito, sigamos a direção do Espírito em todas as áreas de nossa vida. Não nos tornemos orgulhosos, provocando e invejando uns aos outros.” Paulo quer nos lembrar que pertencemos a Cristo, e aqui ele quer despertar os seus leitores: Ei, agora é a sua hora, porque todos fomos crucificados com Cristo, de crucificar a própria carne. Ele até finaliza a carta aos gálatas dizendo: “…que ninguém me perturbe com essas coisas, pois levo em meu corpo cicatrizes que mostram que pertenço a Jesus” (6:17). “Fui crucificado com Cristo; assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim”(2:20). E aqui vemos que o fruto do Espírito só pode acontecer através da comunidade.

Deus nos deu três provisões para que possamos produzir o fruto do Espírito. Ele nos deu a vida de Jesus Cristo, o evangelho. Ele nos deu o poder de Seu Espírito Santo, mas também nos deu Seu corpo, o corpo de Cristo; não podemos fazer isso sozinhos. Assim, para Paulo, o fruto do Espírito deve ser exibido na comunidade marcada pela unidade.

Paulo está nos lembrando que o fruto do Espírito vem por confiarmos e nos mantermos em sintonia com o Espírito Santo. E apenas mais um lembrete do que se trata comunidade. Quando andamos pelo Espírito, não vamos ter ambições egoístas, não vamos ferir uns aos outros. Não seremos ciumentos e invejosos. Lemos no capítulo 6, “Irmãos, se alguém for vencido por algum pecado” (v.1), aqui, Paulo está nos lembrando que ainda há pecado na igreja e ainda há aquela guerra acontecendo. E alguns indivíduos podem cair. E se for esse o caso, então aqueles de vocês que são espirituais devem restaurar este irmão ou irmã.

Então Paulo diz: “ Aqueles que pertencem a Cristo Jesus crucificaram as paixões e os desejos de sua natureza humana” (v.24). Sabemos que Paulo vai dizer que Jesus Cristo foi crucificado por nós, Paulo nos dirá: “Fui crucificado com Cristo; assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim” (2:20), e nos incentiva a crucificarmos a nossa própria carne, pois também já fomos crucificados com Cristo. E aqui vemos que o fruto do Espírito só pode acontecer através da comunidade.

Agora, é interessante porque muitas vezes tomamos “aqueles que são espirituais” como pastores, presbíteros de nossa igreja, mas aqui é o fruto do Espírito, este não é seu pastor responsabilizando alguém. Este não é o seu grupo responsabilizando alguém, mas em vez disso, este é o corpo de Cristo responsabilizando uns aos outros. Aqueles que são marcados pelo amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio, esses são os espirituais. E assim, Paulo nos lembra que caímos muitas vezes e precisamos uns dos outros. 

E precisamos uns dos outros para nos ajudar a levantar sempre que caírmos e fazemos isso de maneira suave, não os repreendemos para tirá-los do castigo. E isso nos leva de volta ao fruto do Espírito, porque a mansidão também é fruto. Fazemos isso sabendo que nosso irmão ou irmã pode ter caído agora, mas da próxima vez podemos ser nós.

Devemos fazer isso com cuidado, para não cairmos em tentação. É possível caírmos na mesma tentação em que eles caíram. Mas é do orgulho humano pensar que estamos acima e além, e com isso permitimos que a natureza humana e o inimigo retornem em nossas vidas. 

E então observe como Paulo conclui. Ele diz: “e assim cumprireis a lei de Cristo” (v.2 ARC). Fomos libertos do legalismo e do padrão de desejos pecaminosos. Paulo substitui isso pela lei de Cristo, e a lei de Cristo é amar o próximo como a nós mesmos. A lei de Cristo é andar segundo o Espírito, cumprindo o fruto do Espírito.

Ao chegarmos a este fim, temos um grande lembrete de que o fruto do Espírito deve trazer unidade. Paulo, mais à frente, diz: “porque [em Cristo] habita corporalmente toda a plenitude da divindade” (Colossenses 2:9). Ele deu tudo o que precisamos para produzir o fruto do Espírito. E parte dessa necessidade é você e eu em união, ajudando uns aos outros a ter a liberdade que temos em Cristo, para que produzamos o fruto do Espírito. Esse é o fruto do Espírito que estamos buscando.

Oro para que o Senhor te abençoe e te guarde e permita que Seu rosto brilhe sobre ti. Que a bondade e a bondade amorosa de Deus te sigam todos os dias de tua vida. Deus te abençoe.

Pensando sobre

  • Descreva com mais detalhes o que significa crucificar a carne.
  • Examine a passagem de Gálatas 6 sobre a restauração de um irmão ou irmã que está preso no pecado.  Como o Fruto do Espírito se relaciona com essa ação.
  • Em suas próprias palavras, explique a importância de viver o fruto do Espírito em comunidade.




Ajude essa mensagem chegar mais longe.

A cada R$2,00 você
nos ajuda a imprimir um livreto para evangelismo.

Preparamos um livro especial para essa Páscoa, clique aqui e saiba mais