As mulheres que tinham vindo da Galileia com Jesus, seguindo, viram o túmulo e como o corpo fora ali depositado. – LUCAS 23:55

Leia: Lucas 23: 53 e 24: 1- 12

Minha filha e eu estávamos caminhando por uma loja poucas semanas antes da Páscoa. “Olhe para tudo isso”, disse ela. “Nada além de doces e coelhos. Aposto que não tem um túmulo à venda em nenhum lugar desta loja.”

Achei interessante ela mencionar um túmulo e não a cruz ou o lírio como símbolos da Páscoa. Ela acertou em algo que muitas vezes deixo passar, em minha pressa para celebrar a ressurreição. Jesus foi colocado num túmulo, e na mente das pessoas que lhe eram mais próximas, esse era o local onde Ele estava indo para ficar.

Em Lucas 23 e 24, observe quantas vezes o corpo de Jesus e o túmulo são mencionados. Naquela primeira manhã da Páscoa, as mulheres foram ao túmulo para ungir o corpo com especiarias para um enterro adequado. Com profunda tristeza por precisar cumprir essa tarefa tão árdua, elas ficaram chocadas com a notícia que parecia incrível demais para ser verdade: “Ele não está
aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos de como vos preveniu, estando
ainda na Galileia” (Lucas 24: 6)!

Nossas tristezas e sonhos despedaçados, que parecem tão definitivos, foram mudados para sempre pelo túmulo vazio de Jesus. Sua vitória destruiu o pecado e a morte, e concede-nos a viva esperança que temos nele.

O grande acontecimento da Páscoa é apenas parte da história. O seu pleno significado se revela quando fazemos uma pausa frente ao Seu túmulo.

O sepulcro vazio de Cristo garante a nossa vitória sobre a morte.