Ver três grandes predadores se abraçando e brincando juntos é extremamente incomum. Mas é isso o que acontece diariamente em um santuário animal na Geórgia, EUA. Em 2001, após meses de negligência e abuso, um leão, um tigre de Bengala e um urso negro foram resgatados pelo Santuário Animal Arca de Noé. “Nós poderíamos separá-los”, disse o diretor assistente. “Mas como eles chegaram como uma espécie de família, decidimos mantê-los juntos.” O trio havia encontrado conforto mútuo durante seu tempo de maus-tratos e, a despeito de suas diferenças, vivem pacificamente juntos.

A unidade é linda. Mas a unidade sobre a qual Paulo escreveu em sua carta aos cristãos de Éfeso é singular. Paulo os incentivou a viverem segundo o seu chamado como membros de um só corpo em Cristo (Efésios 4:4,5). Pelo poder do Espírito Santo, eles seriam capazes de viver em unidade ao desenvolverem humildade, bondade e paciência. Essas atitudes também nos permitem suportarmos “…uns aos outros em amor…” por meio do denominador comum que temos em Cristo Jesus (4:2).

Apesar de nossas diferenças, como membros da família de Deus fomos reconciliados a Ele por meio da morte do nosso Salvador, e uns aos outros por meio da obra permanente do Espírito Santo em nossa vida.