“Hoje vamos jogar um jogo chamado Imitação,” o pastor disse às crianças sentadas ao seu redor para ouvir o sermão. “Eu vou dizer o nome de algo e vocês me mostram o que isso faz. Prontos? Galinha!” As crianças bateram os braços, cacarejaram e imitaram o canto dos galos. O seguinte foi o elefante, depois um jogador de futebol, e então uma bailarina. O último foi Jesus. Muitas crianças hesitaram, mas um menino de seis anos, com um grande sorriso no rosto, imediatamente abriu os braços amplamente como que em acolhimento. A congregação aplaudiu.

Como é fácil esquecermos que nosso chamado é para sermos como Jesus nas situações diárias da vida. “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave” (Efésios 5:1,2).

O apóstolo Paulo elogiou os seguidores de Jesus em Tessalônica por demonstrarem sua fé em circunstâncias difíceis. Ele escreveu: “…vos tornastes imitadores nossos e do Senhor […] de sorte que vos tornastes o modelo para todos os crentes na Macedônia e na Acaia” (1 Tessalonicenses 1:6,7).

A vida de Jesus em nós nos encoraja e capacita a caminhar neste mundo como Ele caminhou — com as boas-novas do amor de Deus e braços amplamente abertos em acolhimento a todos.