“Davi, eu não vi você hoje na minha aula”, falei para um de meus alunos da universidade, quando nos encontramos na secretaria. Ele me olhou, pasmado, como calouro em sua primeira semana de aula, e então percebeu — ele havia se enganado com os horários e ido para uma sala errada.

O interessante foi que havia duas classes de gramática — a minha e a de um outro professor — e ele foi assistir a aula errada. Então disse-lhe: “Está bem, você estava recebendo a informação correta, por isso não vou lhe dar falta.”

Quando pensei a respeito, concluí que isso é um pouco parecido com as opções que muitos cristãos têm em relação às igrejas que frequentam. O fator-chave é frequentar uma igreja onde é compartilhada a informação certa, onde se prega a respeito da salvação por meio de Jesus Cristo (1 Coríntios 15:3-5), onde a Bíblia é o padrão para a fé e a prática, e onde há oportunidade de servir em nome de Jesus. É importante que a mensagem proclame o verdadeiro evangelho e a mensagem histórica de Jesus — e não um “outro evangelho” (Gálatas 1:6-9). O mais importante não é o mensageiro; é a mensagem.

Que “evangelho” você está ouvindo? Ele está edificado sobre o fundamento de Jesus Cristo?