O Salmo 150 não é apenas uma bela expressão de louvor, é também uma lição sobre como louvar o Senhor. Ele nos fala onde louvar, porque devemos louvar, como devemos louvar e quem deveria oferecer louvor.

Onde louvamos? No “santuário” e “poderoso firmamento” de Deus (v.1). Onde quer que estejamos no mundo há sempre um lugar apropriado para louvar Aquele que criou todas as coisas.

Por que louvamos? Primeiro, devido ao que Deus faz. Ele executa “poderosos feitos.” Segundo, por causa de quem Deus é. O salmista louvou-o por “…sua muita grandeza” (v.2). O Criador Todo-poderoso é o Sustentador do universo.

Como deveríamos louvar? Com altos sons. Gentilmente. Calmamente. Com entusiasmo. Com ritmo. Intrepidamente. Espontaneamente e sem temor. Em outras palavras, podemos louvar a Deus de muitas maneiras e em muitas ocasiões (vv.3-5).

Quem deveria louvar? “Todo ser que respira…” (v.6). Jovem e velho. Rico e pobre. Fraco e forte. Toda criatura vivente. A vontade de Deus é que todos a quem Ele deu fôlego de vida o usem para reconhecer o Seu poder e grandeza.

O louvor é a nossa expressão entusiasta de gratidão a Deus por reinar em glória para sempre.