Minha amiga Márcia, diretora da Escola Cristã de Surdos da Jamaica, recentemente ilustrou uma maneira importante de olhar para as circunstâncias. Em um artigo ao qual chamou “Um começo abençoado”, ela ressaltou que pela primeira vez em sete anos a escola havia começado o novo ano com um saldo positivo. E qual era esse saldo positivo? Mil dólares no banco? Não. Suprimentos escolares suficientes para um ano? Não. Era simplesmente isto: o suprimento do alimento suficiente para um mês no armário.

Quando você está encarregado de alimentar 30 crianças famintas com um orçamento quase inexistente, isso é grande coisa! Ela incluiu no artigo o versículo do livro de 1 Crônicas: “Rendei graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua misericórdia dura para sempre” (16:34).

Ano após ano, Márcia confia que Deus proverá as necessidades das crianças e da equipe de sua escola. Ela nunca tem de sobra — seja água, alimento ou material escolar. No entanto, ela está sempre grata pelo que Deus manda e é fiel crendo que Ele continuará a suprir.

No início de um novo ano, temos fé na provisão de Deus? Agir de tal forma é acreditar na palavra de nosso Salvador quando Ele disse: “…não andeis ansiosos pela vossa vida […] não vos inquieteis com o dia de amanhã…” (Mateus 6:25,34).