No dia 19 de novembro de 1863, dois homens muito conhecidos fizeram discursos na consagração do Cemitério Nacional dos Soldados na Pensilvânia, EUA. O palestrante em destaque, Edward Everett, tinha sido membro do congresso, governador e presidente da Universidade de Harvard. Ele era considerado um dos maiores oradores de seu tempo, e fez um discurso formal de duas horas. Em seguida, o presidente norte-americano Abraham Lincoln fez um discurso que durou apenas dois minutos.

Hoje, este discurso de Lincoln é muito conhecido e citado, e as palavras de Everett foram quase esquecidas. O fator responsável por isso não foi apenas a eloquência e o tamanho do discurso de Lincoln. Naquela ocasião, as palavras dele tocaram o espírito ferido de uma nação arrasada pela Guerra Civil, oferecendo esperança para os dias que viriam.

As palavras não precisam ser numerosas para serem significativas. O que chamamos de oração dominical — a oração do Pai Nosso, está entre os ensinos mais curtos e célebres de todas as lições de Jesus. Traz ajuda e cura ao nos lembrar de que Deus é o nosso Pai celestial cujo poder age na terra assim como no céu (Mateus 6:9,10). Ele concede alimento, perdão e coragem para cada dia (vv.11-13). E toda honra e glória pertencem a Ele (v.13). Não há nada em nosso passado, presente e futuro que não esteja incluído nas breves palavras de nosso Senhor, que ajudam e curam.