Com certeza você já se sentiu estressado por alguma questão pessoal ou profissional, já lidou com o estresse em questões rotineiras. Mas e quanto a este momento de pandemia que estamos vivendo? Como lidar com o estresse quando ele parece ser uma reação óbvia que reflete sentimentos de medo, insegurança? Com todas as informações que recebemos dia após dia, talvez pareça um esforço desgastante, como alguém que tenta nadar para chegar até a costa, sem resultados. E mantermos simplesmente nossa cabeça fora da água, nos faz vulneráveis a qualquer onda que apareça.

Nós temos estes momentos esmagadores quando achamos que nossa vida está tomada ou controlada pelo estresse. Seja porque uma doença que está à espreita, seja porque as provisões estão limitadas e quem sabe o que o amanhã pode trazer.  Desenvolver habilidades de sobrevivência se torna crucial para todos os que sentem o castigo da morte emocional. Estabelecer pontos de descanso e hábitos que tragam paz são fontes preciosas de paz interior.

Mas como lidar com os problemas restantes — as circunstâncias que estão além do nosso controle?

Livre-se da carga desnecessária

Se quisermos lidar com nossas próprias “ventanias” pessoais, teremos que nos livrar das cargas que não necessitamos. É claro, às vezes é necessária uma tempestade para que as abandonemos. A tempestade é a nossa chance para mudar.

Quando o mau tempo diminui, podemos voltar ao mesmo estilo de vida tão sobrecarregado. Mas isto poderia preparar o cenário para um temporal ainda maior. Se você quer sobreviver também ao seu “furacão” pessoal, avalie a carga extra e livre-se dela antes que ela o faça afundar — de uma maneira ou outra.

Ocupe-se com as coisas que realmente importam

Quando você luta com uma tempestade, se ocupa com as coisas que realmente importam — e essas “coisas” geralmente são pessoas!

Na maioria das vezes é necessária uma tempestade para restaurar os nossos valores.

Mostre o seu desespero a Deus

A nossa fé tende a se tornar fria, passiva e sem conflitos — até que uma crise nos abala. Então caímos de joelhos, e Deus se torna mais do que alguém que nos “ajuda”: Ele é a nossa única esperança. Buscamos desesperadamente a Deus. Quando o chão, a base se vai, então é fácil se desesperar. Muitas vezes, o nosso pânico procura um bote em vez de procurar o Senhor. Os meus barcos salva-vidas geralmente produzem uma confusão maior. Uma tempestade pode nos colocar em pânico, ou pode nos fazer orar. É então, quando desaparecem os nossos pontos de referência, como as estrelas dos marinheiros, que aprendemos o que realmente significa orar.

Em certas ocasiões da sua vida com Deus, Ele vai retirar de você todos os outros recursos, deixando-o somente com Ele. Então você descobrirá, segundo as sábias palavras: “Você nunca saberá que Jesus é tudo o que necessita até que Jesus seja tudo o que você tem”. E então há paz, não importa quanto tempo dure a tempestade.

Volte a ter uma rotina saudável

“De tão preocupados, vocês não se alimentam há duas semanas […] Por favor, comam alguma coisa agora, para seu próprio bem…” (Atos 27:33,34). Paulo recomendou aqui uma quarta habilidade de sobrevivência numa tempestade — voltar a ter uma rotina sadia. Quando distúrbios fortes se abatem contra o nosso navio, as nossas rotinas diárias são geralmente as primeiras coisas que lançamos ao mar. Na realidade, quanto maior a pressão, tanto mais importante é vigiar as fontes das nossas forças. Mais do que nunca, devemos lutar por aquele tempo de qualidade com o nosso Senhor, com nossos queridos e com os nossos filhos. Essas rotinas sadias são o que nos mantêm fortes, tanto nos dias de sol como nos dias de tempestade.

É durante as tempestades que somos jogados, literalmente, de volta ao equilíbrio. Aprendemos a não jogar fora essa maravilhosa paz quando nosso navio rodopia, fora de controle. Em vez disso, é tempo de nos desfazermos da carga que não necessitamos, nos ocuparmos com as coisas que realmente importam, buscar ansiosamente a Deus e voltar a ter uma rotina saudável. Deus providenciou essa estratégia positiva para resistir às tempestades do estresse.

Séculos antes, o antigo profeta judeu, Naum, disse tudo numa simples sentença:

“[O Senhor] Demonstra seu poder no vendaval e na tempestade” (Naum 1:3).

Os nossos planos podem ser interrompidos por tempestades, mas os planos de Deus nunca. Na verdade, a tempestade faz parte do Seu plano. Se não abandonamos o navio, os ventos de Deus nos lançarão justamente no lugar, ao qual pertencemos — não importa o quão desorientados possamos nos sentir.

A paz é basicamente uma pessoa

Porque Cristo é nossa paz (Efésios 2:14).

Fomos feitos para viver para o Deus que nos criou, todo o resto está fora de lugar, até o encontrarmos. E Ele só pode ser encontrado na cruz, onde o Seu Filho pagou a conta pela nossa batalha contra Deus. Se rejeitarmos a Deus ou simplesmente o negligenciarmos, o resultado é o mesmo — uma vida que Ele criou e pela qual pagou, vivida sem Ele. Quando nós o convidamos, Ele entra na nossa vida — trazendo a Sua paz.

A busca por paz é, em última instância, a busca por uma Pessoa.

Este momento extremo é a oportunidade de Jesus agir. Por mais estranho que pareça, você pode estar mais perto da paz do que jamais esteve. A paz é uma Pessoa — e a paz enraizada nele pode resistir com vitória a qualquer teste. 

**Lembre-se: A paz interior é a condição natural do coração, no qual Jesus vive.

Se o meu estresse, dadas as circunstâncias atuais, com a incerteza pelo futuro ou o medo do que um vírus possa causar, me fizer ansiar por Sua paz, então ele me trouxe de volta para casa. A tormenta pode nos lançar ao porto que buscamos toda a nossa vida.

Eu encontrei essa paz em uma promessa da Bíblia que tem sido testada por crentes durante dois milênios.

Pouco antes da promessa, o autor enumerou todos os grandes distúrbios da experiência humana: aflições ou calamidades, perseguições ou fome, miséria, perigo ou ameaças de morte (Romanos 8:35,36). 

Então, tendo em mente esse catálogo de tempestades da vida, exclamou: “Mas, apesar de tudo isso, somos mais que vencedores por meio daquele que nos amou” (Romanos 8:37).

Jesus é a única fonte da paz, e podemos experimentar “…a paz de Deus, que excede todo o entendimento…” (Filipenses 4:7). Muitas vezes os problemas se apresentam como provações ou testes, que tentam, mas não precisam roubar nossa paz. Ao contrário, podem confirmá-la! Deus fala por meio deste redemoinho, para dizer: “A minha paz é mais forte do que você pensa!”

Se podemos ser “mais do que vencedores” no caos da vida, por que nos conformaríamos apenas em lidar com os sentimentos que geram o estresse?

A diferença entre lutar e vencer parece ser estas três pequenas palavras — “por meio daquele”. Sem elas, seria apenas outra forma inspiradora de dizer: “Pense de forma positiva” A verdadeira paz não é o resultado de uma maneira positiva de pensar, mas a pessoa de Cristo. 

Não permita que o caos ao redor o influencie mais a ponto de lhe trazer medo e insegurança! A Palavra de Deus, o nosso farol, nos garante que Jesus está sempre ao nosso lado, em todos os momentos, bons ou maus. 

Ajude essa mensagem chegar mais longe.

A cada R$2,00 você
nos ajuda a imprimir um livreto para evangelismo.

Preparamos um livro especial para essa Páscoa, clique aqui e saiba mais