Eu e minha amiga estávamos passeando e conversando sobre nosso amor pela Bíblia. Fiquei surpresa quando ela disse: “Ah, mas não gosto muito do Antigo Testamento. Toda aquela coisa pesada e vingança — quero Jesus!”

Podemos ecoar suas palavras quando lemos um livro como Naum, talvez ressaltando uma declaração como: “…o Senhor é Deus zeloso, cheio de vingança e ira…” (v.2). Ainda assim, o versículo seguinte nos enche de esperança: “O Senhor é lento para se irar, mas tem grande poder…” (v.3).

Quando mergulhamos mais profundamente na questão da ira de Deus, entendemos que quando Ele a exerce, com frequência está defendendo o Seu povo ou o Seu nome. Por causa do Seu amor transbordante, Ele busca justiça pelos erros cometidos e redenção aos que se voltaram contra Ele. Vemos isso não apenas no Antigo Testamento, quando Ele chama o Seu povo de volta para si, mas também no Novo, quando Ele envia o Seu Filho para ser o sacrifício por nossos pecados.

Podemos não entender os mistérios do caráter de Deus, mas podemos confiar que Ele não apenas exerce justiça, mas também é a fonte de todo amor. Não precisamos ter medo dele, pois “O Senhor é bom; é forte refúgio quando vem a aflição. Está perto dos que nele confiam” (v.7).