Categoria  |  Pão Diário

Fugindo dos ruídos extras

Há alguns anos, a reitora de uma faculdade sugeriu que os alunos fizessem uma “desaceleração” certa noite. Mesmo concordando, eles relutaram em deixar o celular de lado ao entrar na capela. Durante uma hora, sentaram-se em silêncio num culto de louvor e oração. Posteriormente, um participante descreveu a experiência como “uma oportunidade maravilhosa de se acalmar […] uma ocasião de se desligar de todo barulho extra”.

O retorno dos investimentos

Em 1995, os investidores da bolsa norte-americana tiveram um recorde de lucros: em média, 37,6%. Depois, em 2008, quase perderam a mesma porcentagem: negativos 37%. Durante esse período de 13 anos, os lucros variaram, levando quem tinha dinheiro aplicado a imaginar o que aconteceria com o seu investimento.

Quando você não é escolhido

Meu amigo postou no Facebook a conclusão de um projeto, e muitos o parabenizaram. Mas, para mim, aquilo foi uma facada no coração. O projeto era meu. Eu fora deixado de lado e não sabia o porquê.

Aqui conosco

Ela olhava fixamente para a prateleira superior na qual se encontravam os vidros com molho. Permaneci ao seu lado por um ou dois minutos olhando a mesma prateleira, tentando decidir. Mas ela parecia alheia à minha presença, perdida na situação. Não tenho problemas com prateleiras superiores, porque sou um homem alto, mas ela era mais baixa. Então lhe ofereci ajuda e, surpresa, ela me disse: “Nem o vi! Sim, quero ajuda, por favor”.

Propósito na dor?

Quando Siu Fen descobriu que tinha insuficiência renal e precisaria de diálise pelo resto da vida, pensou em desistir. Aposentada e solteira, a cristã de longa data não viu motivos para prolongar sua vida. Mas os amigos a convenceram a perseverar, a fazer diálise e a confiar que Deus a ajudaria.

Procurando o tesouro

Tesouro enterrado; parece algo extraído de um livro infantil. Mas o excêntrico milionário Forrest Fenn afirma ter um baú de joias e ouro avaliado em mais de dois milhões de dólares em algum lugar nas montanhas. Muitas pessoas já saíram à procura desse baú. Na realidade, quatro pessoas já perderam a vida tentando encontrar essas riquezas escondidas.

Na estrada de Damasco

Quando Paulo se dirigia a Jerusalém pela estrada de Damasco, vemos algo que se repete em nossos caminhos até hoje: pecadores, que sabem muito sobre Deus, mas que têm o coração endurecido a Ele. Sua religiosidade os impede de se aproximarem do Senhor.

Ótima notícia!

Após frequentar um seminário sobre o fortalecimento dos laços familiares, um grupo de detentos recebeu a visita das famílias. Alguns não viam os filhos havia anos. Em vez de conversar através de um painel de vidro, eles puderam abraçar seus entes queridos. À medida que as famílias se uniram, as feridas começaram a cicatrizar.

Dos lábios dos bebês

Depois de ver Vivian, de 10 anos, usar um galho como microfone para imitar um pregador, Michele decidiu lhe dar a chance de “pregar” em sua vila no Sudão. Vivian aceitou, e a missionária Michele escreveu: “A multidão ficou em êxtase. […] Uma menininha que fora abandonada se levantara diante de todos com a autoridade de uma filha do Rei, compartilhando poderosamente a realidade do Reino de Deus. Muitas pessoas foram à frente para receber Jesus” (Michele Perry, Love Has a Face, O amor tem um rosto).

Eliminando informações ruins

Durante uma viagem, minha esposa e eu contratamos um táxi para uma corrida curta do nosso hotel a um restaurante cubano. Após explicar os detalhes para o aplicativo, engoli em seco quando a tela revelou o preço da corrida: era caríssimo, uns 5.000 reais! Depois do susto, percebi que eu tinha pedido uma corrida para casa, que ficava a centenas de quilômetros de distância!

O espírito da Fika

A cafeteria da cidade perto da minha casa se chama Fika. É uma palavra sueca que significa fazer uma pausa com café e bolo, sempre na companhia da família, de colegas de trabalhos ou amigos. Eu não sou sueca, mas o espírito da fika descreve o que eu mais amo em Jesus: Sua prática de tomar o pão para comer e relaxar com os outros.

Reverência silenciosa

Minha vida muitas vezes é frenética. Saio correndo de um compromisso para o seguinte, retornando as chamadas e conferindo a lista de tarefas no caminho. Um domingo, completamente exausta, desmoronei na rede do jardim. Meu celular estava dentro de casa; meu marido e meus filhos, também. Eu tinha planejado me sentar lá por um momento, mas comecei a notar coisas que me convidavam a me demorar mais. Pude ouvir o ruído do vai-e-vem da rede, o zumbido de uma abelha numa flor próxima e as batidas das asas de um pássaro. O céu estava azul, e as nuvens se moviam com o vento.