Leia a vida de Abraão e você verá que ele foi chamado a fazer “entregas” a vida toda. Que é fé? Fé é a entrega de si mesmo a Deus e a confiança em Deus em todos os aspectos. Isso é fé. Uma vida de fé é uma vida de entrega a Deus e, consequentemente, uma vida em que Deus ocupa o lugar principal, em substituição a quaisquer outras coisas.

Quando Abraão estava em Ur dos caldeus, Deus o chamou para deixar seu país e seus parentes e se dirigir ao lugar que lhe mostraria. Abraão respondeu com fé; pela fé ele deixou seu lugar nativo e sua parentela. Ele saiu de Ur e ficou em Harã por alguns anos, até Deus levar seu pai. Novamente, Deus lhe apareceu e o chamou, e ele deixou Harã. Depois de chegar à Terra Prometida, encontrou um tempo de fome e desceu ao Egito em busca de alimento. Novamente, Deus o chamou, para sair do Egito, e ele saiu de lá com riquezas. Ele e seu sobrinho Ló tinham tanto gado que não podiam ficar no mesmo lugar de pasto. Os pastores de ambos começaram a discutir, e Abraão teve de pedir a Ló que partisse, deixando que o sobrinho escolhesse para que lado gostaria de ir. Abraão teve de abandonar Ló.

Enquanto peregrinava na Terra Prometida, Abraão ainda não tinha filhos. Deus havia prometido dar-lhe descendentes como o pó da terra e as estrelas do céu. Finalmente, ele gerou Ismael, de Hagar, escrava egípcia de sua esposa. Ele amava Ismael, mas, mesmo assim, teve de abandoná-lo, pois Deus lhe ordenou: “Deixa Ismael ir”.

Finalmente, Deus lhe deu Isaque, seu filho com Sara, o filho da promessa. Todas as promessas de Deus estavam centralizadas naquele filho. Surpreendentemente, em Gênesis 22 lemos que Deus chamou Abraão e o provou, dizendo: “Abraão, vá ao monte Moriá, que fica a três dias de viagem daqui, e ofereça teu filho, teu filho único e amado, Isaque, como holocausto”. O holocausto era uma oferta totalmente para Deus; dele não sobrava nada, a não ser cinzas. Então, Abraão, sem qualquer hesitação, levantou-se bem cedinho e pôs-se a viajar com seu filho. Ele viajou três dias, teve bastante tempo para pensar e ponderar, mas ainda assim não voltou atrás. Ele foi ao monte Moriá, edificou um altar, amarrou o filho e tomou a faca para sacrificá-lo. Somente nesse momento, Deus mandou-o parar. Isso é entrega total a Deus!

Esta é apenas uma das histórias que você encontra no livro “O homem que Deus usa“, um ótimo presente de dia dos pais. Disponível na livraria mais próxima a você e no site publicacoespaodiario.com.br!