A beleza do casamento está em conhecermos um ao outro e em prosseguirmos nesse conhecimento ao longo da vida a dois. Em seu livro “Cartas para Karen”, o autor escreve à sua filha sobre o privilégio e o desafio de conhecer todas as faces do amor dentro do casamento uma vez que este é composto de dias bons e outros não tão bons assim. Há uma chave dentro desta abordagem para você que está se preparando para esse grande dia, ou que até mesmo já esteja vivendo o matrimônio. Gostaríamos de compartilhar esta linda carta com você:

[…] Uma das melhores coisas já escritas sobre o amor é 1 Coríntios 13. Na próxima vez que você ler esta passagem, observe que a única repetição no capítulo todo é esta:

Em parte, conhecemos!

O escritor parece estar dizendo: “Retorne e contemple mais uma vez os infindáveis panoramas do amor. Nisto, você encontrará algo que deve ser considerado novamente. A beleza nos relacionamentos humanos não exige pleno conhecimento dele de uma única vez”.

Podemos ser eternamente gratos por isto de várias maneiras. Uma delas, pela qual sou muito grato, é o fato de que as pessoas não podem enxergar dentro de mim! Então, retornamos e revisamos o conceito novamente; não é também bom que não saibamos tudo sobre outras pessoas? Não fosse esta dupla proteção, todos nós nos uniríamos ao insano coro: “Parem o mundo, eu quero descer!”.

Mas quando se aplica ao casamento, isto não é nada menos que um presente colossal. Estar casado com alguém em que você vê ilhas a serem descobertas, montanhas a serem escaladas, vales a serem explorados e novos enigmas acenando à distância — isso é absolutamente o melhor.

Contudo, cria alguns problemas. Você não consegue aprender de uma única vez a lidar com pessoas como estas. É verdade que os dias nunca se tornarão tediosos quando se iniciar esta jornada; contudo por outro lado, pode ser, em alguns momentos, irritante.

Então quando você sentir vontade de dizer: “Homens! Por que o meu marido faz estas loucuras? Será que algum dia compreenderei o que o faz agir assim?”, quando você se sentir dessa forma, apenas seja grata por um homem que você não consegue compreender de uma única vez.

Esta beleza do conhecimento parcial é o que faz a vida com os seus amados ser tão fascinante. Poderia esgotá-la se você permitisse, mas pode também manter seu coração cantarolando com a empolgação de simplesmente estar viva.

Sua mãe e eu estamos casados há 26 anos e de sua alma surgem emoções revigoradas — isto é realmente a verdade. Ainda estou descobrindo coisas sobre ela que jamais soube, ainda grato por alguém tão formidável a ponto de que precisarei de toda uma vida para descobri-la por completo — ainda com alegria no coração durante todo o dia por saber que conhecemos em parte.

Você vai se lembrar de Aletha. Ela nos ajudou a cuidar de você quando você era pequena; trabalhava meio período, mas a marca que deixou foi de tempo integral. Nós chegamos a ser como amigos que não se preocupam com o que dizem quando estão juntos. É por isso que quando, como pais, nos zangávamos demais ou falávamos muito severamente com um de vocês, ela os pegava em seus braços e dizia? “Ah, tudo bem! Eles só precisam mesmo é de um bom punhado de espera no Senhor!”

Essa é uma excelente palavra para paternidade e maternidade. Também faz milagres para um homem e uma mulher que tentam combinar duas vidas.

Não force demais! Ore por paciência! Deem um ao outro espaço para crescer!

Escute! Você ouve o que eu estou ouvindo? É um som distante e profundo, como um baterista tamborilando. Espero que você goste. Vamos ouvi-lo frequentemente à medida que caminhamos juntos; e estas são as palavras que se acomodam à batida:

O casamento não é uma cerimônia! É uma criação!

Seu papai, na alegria do vasto desconhecido.

[Trecho extraído das página 19 a 24 do livro Cartas para Karen de Charlie W. Shedd].

 

Dica para leitura:

Devocional para casais: Este livro com meditações diárias ajudará os cônjuges a dar e receber amor de uma forma inteiramente nova. Por meio de princípios comprovados, eles encontrarão força renovada para se unirem a Cristo a fim de atenderem às necessidades conjugais um do outro.

 

 

Cartas para Karen: Escrito na década de 1960, Cartas para Karen: Conselhos de um pai sobre como manter o amor no casamento foi inicialmente um pedido de Karen a seu pai, Charlie Shedd — pastor, escritor e conselheiro cristão — para que a orientasse sobre como ter um casamento bem-sucedido.

 

 

Casamento a três — Uma aliança com Deus: Este livro apresenta conselhos e soluções bíblicas para algumas questões que envolvem a união conjugal: Como escolher seu cônjuge; quais as diferentes fases do casamento e como superá-las; quais os alicerces bíblicos para um casamento sólido; qual é o padrão bíblico para o amor e o perdão; o que fazer quando a infidelidade acontece… entre outros.