Ninguém escolheria a dor e o sofrimento. Mas quando não há opção, permanece um consolo. Os desastres naturais e os momentos de crises nos aproximam. Os furacões, incêndios, terremotos, revoltas, enfermidades e acidentes nos fazem perceber o sentido de tudo que existe. De repente, lembramos que somos mortais e que as pessoas valem mais que as coisas. Entendemos que precisamos uns dos outros e que, acima de tudo, precisamos de Deus. Toda vez que descobrimos a consolação de Deus em nosso sofrimento, a nossa capacidade de ajudar o próximo aumenta. Paulo pensou nisso quando escreveu: “Louvado seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai misericordioso e Deus de todo encorajamento. Ele nos encoraja em todas as nossas aflições, para que, com o encorajamento que recebemos de Deus, possamos encorajar outros quando eles passarem por aflições” (2 Coríntios 1:3-4).