Esta verdade se evidencia melhor nos diversos exemplos da Bíblia. Por meio dos sofrimentos de Jó, vemos um homem que, não só conseguiu uma compreensão mais profunda de Deus, mas tornou-se a fonte de alento para os homens das gerações que se seguiram. Pelo desprezo, traição, escravidão e prisão injusta de um homem chamado José, encontramos alguém que, com o tempo, pôde dizer aos que lhe causaram danos: “Vocês pretendiam me fazer o mal, mas Deus planejou tudo para o bem. Colocou-me neste cargo para que eu pudesse salvar a vida de muitos” (Gênesis 50:20). Quando todo o nosso ser brada aos Céus por permitir o sofrimento, temos razões para olhar o resultado eterno e a alegria de Jesus que, em Seu próprio sofrimento na cruz de execução, exclamou: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” (Mateus 27:46).