Sorrisos, palavras engraçadas, brincadeiras recheadas de fofuras… A infância é um período delicioso; olhar aquelas mãozinhas rápidas e olhos atentos a tudo descobrindo um mundo novo é encantador.

Ficamos tão fascinados com a doçura da infância de nossos filhos que nos esquecemos de que alguns aprendizados cruciais para a vida são desenvolvidos nesse período — como o caráter e a afetividade.

O conceito de afetividade refere-se à forma como as crianças aprendem a lidar com suas emoções e, a partir delas, estabelecer um relacionamento com os pais, irmãos e familiares em geral. Uma palavra, um olhar, um objeto, qualquer sensação interna — medo, alegria, fome… — e a forma como respondemos a ela chama-se afetividade.

A vida moderna nos brinda com a correria cotidiana. O excesso de atividades dos pais e das crianças os privam de muitos momentos de convivência em família, por isso, torna-se importante para o desenvolvimento afetivo da criança que os poucos momentos juntos sejam de qualidade.

Momento de qualidade é aquele em que, estando com sua família, você de fato esteja com ela. Não é apenas estar em um mesmo ambiente, cada um envolvido em uma atividade individual.

Imagine a cena de uma família na sala de sua casa: o papai está no notebook, a mamãe assistindo televisão, um irmão no tablet vendo suas programações favoritas e outra criança no chão se divertindo com seu brinquedo. Uma cena comum, não é mesmo? Involuntariamente ignoramos a presença das crianças, e essa atitude não contribui em nada para uma formação saudável da afetividade, pois elas precisam de um momento de relacionamento com sua família.

O vinculo afetivo é fundamental para o desenvolvimento e a saúde emocional da criança. Algumas pequenas mudanças na sua forma de lidar com seu filho no dia a dia terão um impacto significativo na pessoa que ele se tornará. Vale a pena tentar:

  • Ao chegar do trabalho, abrace seu filho. Pergunte como foi o dia dele e preste atenção no que ele lhe conta. Esqueça qualquer outra atividade e ESCUTE.
  • Demonstre interesse pelas atividades do seu filho. Preocupe-se com o que ele lê, assiste e quem são seus amigos. Demonstrar que se importa com seu filho fará com que ele crie laços de confiança com você.
  • Nos momentos à mesa, desliguem seus celulares e televisores. Façam deste um momento em família. Conversem, sorriam, façam planos juntos.
  • Tenham um momento devocional diário juntos, em que conversem, compartilhem o que aconteceu durante o dia, orem pelos sonhos e anseios um do outro.

Sabemos que ser pai e mãe não é uma tarefa fácil. Temos tanto desejo em acertar que algumas vezes complicamos essa tarefa além do necessário. Enchemos de poréns quando, na maioria das vezes, tudo o que nosso filho precisa é de nós, da nossa atenção!

Demonstre seu amor, escute, importe-se com ele, tire uns momentos para ser somente de vocês em família e você verá como o estreitamento dos laços afetivos melhorarão o convívio em casa, o rendimento escolar e até alguns maus comportamentos por parte das crianças. O amor é o maior dom que Deus nos concedeu; use-o sem medidas com seu filho.

“Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor.” (I Coríntios 13:13).