Pensei muito sobre tudo que acontece debaixo do sol, onde as pessoas têm poder para prejudicar umas às outras. —Eclesiastes 8.9

Ela acabara de escovar os cabelos e olhara para o seu relógio. Ele chegaria a qualquer momento. É claro que traria flores ou chocolates e talvez uma caixinha com algo brilhante em seu interior. A jovem realmente deveria acabar com tudo— afinal de contas, não era justo com o rapaz. Ela não estava atraída de verdade por ele, ainda que este parecesse estar levando o relacionamento a sério desde o início.

Mas não lhe contaria já — era bom ser adorada e tomar todas as decisões. Tudo o que precisava fazer era dizer o nome do restaurante ou uma peça de teatro, mencionar um conserto que precisava ser feito em sua casa ou falar sobre alguma preocupação financeira. Ela sabia que tinha algo muito bom em mãos e queria desfrutar disso um pouco mais.

Dalila vivia situação semelhante, e quando Sansão se apaixonou por ela, a jovem poderia ter insistido em iniciar um relacionamento adequado como marido e mulher. Poderia tê-lo influenciado a ir além de sua tendência de pregar peças maliciosas e o encorajado a assumir seriamente seu papel de juiz de Israel. Dalila poderia ter ajudado Sansão a se tornar um homem a quem outros poderiam respeitar e admirar por mais do que suas demonstrações ocasionais de força física. Mas ela usou seu poder para traí-lo, entregando-o a seus inimigos em troca de riquezas.

Geralmente não percebemos o poder que temos em relacionamentos com namorados, maridos, filhos, parentes e amigos. Quanto mais íntimo o relacionamento, mais vulnerável a outra pessoa é. Percebendo ou não, usamos essa influência de formas que ajudam ou prejudicam os nossos queridos.

Podemos usar o relacionamento para nosso benefício, sem considerar as necessidades da outra pessoa, ou podemos trazer à tona o melhor dela ao encorajá-la a se tornar a pessoa que Deus planejou que fosse. Ser o objeto do amor de alguém nos traz grande responsabilidade. No fim das contas, teremos que nos justificar a Deus pelo modo como lidamos com isso.