Our Authors

ver tudo

Articles by Philip Yancey

O Senhor fala

No livro de Jó podemos encontrar quase todos os argumentos sobre a causa da dor no mundo, mas o debate parece não ajudar muito o próprio Jó. A crise dele é mais de relacionamento do que de dúvida. Ele pode confiar em Deus? Acima de tudo, Jó quer a aparição da única Pessoa capaz de explicar o seu miserável destino. Ele…

Quebrando o silêncio


No final do Antigo Testamento, Deus parece estar escondido. Durante quatro séculos, os judeus esperam e se maravilham. Deus parece passivo, despreocupado e surdo às suas orações. Resta apenas uma esperança: a antiga promessa de um Messias. Com essa promessa, os judeus colocam tudo em jogo. E então acontece algo importante. É anunciado o nascimento de um bebê.


A boa Terra


O astronauta Bill Anders, tripulante da Apollo 8, em 1968, descreveu a visão da paisagem lunar, enquanto orbitava ao redor da Lua. Descreveu-a como “um horizonte de mau agouro, pouco atraente para o futuro.” Em seguida, a tripulação se revezou na leitura de Gênesis 1:1-10 para o mundo que os assistia. Após o comandante Frank Borman terminar de ler o versículo 10: “E Deus viu que o que havia feito era bom”, ele despediu-se com as palavras: “Deus abençoe todos vocês, todos vocês na boa Terra.


Construindo a comunidade


Henri Nouwen, teólogo, diz que “comunidade” é o lugar onde a pessoa com quem você menos quer estar, vive. Muitas vezes nos cercamos com as pessoas com quem mais queremos conviver, e formamos um clube ou turma, não uma comunidade. Qualquer um pode formar um clube; mas é preciso ação, visão comum e trabalho árduo para formar uma comunidade.


Graça perfeita


O ensinamento de Jesus sobre os ideais absolutos e a graça absoluta parece contraditório.


A face de Deus


Grande parte da minha carreira de escritor tem girado em torno do problema da dor. Sempre volto às mesmas perguntas, como se estivesse cutucando uma velha ferida que nunca sara. Os leitores de meus livros me escrevem e suas histórias angustiantes dão faces humanas às minhas dúvidas. Lembro-me de um pastor de jovens me telefonando após descobrir que sua esposa e filha estavam morrendo de AIDS devido a uma transfusão de sangue contaminado. Ele perguntou: “Como posso falar ao meu grupo de jovens sobre um Deus amoroso?”


Sou importante?

Em pé na fila do caixa do supermercado local, olho ao redor. Vejo adolescentes com cabeças raspadas e argolas no nariz examinando os salgadinhos; um jovem profissional comprando um filé, alguns aspargos e uma batata doce; uma idosa examinando a qualidade dos pêssegos e morangos. E me pergunto: Deus conhece todas essas pessoas pelo nome? Elas realmente importam para Ele?

Ajudando uns aos outros

“O Corpo de Cristo” é uma expressão misteriosa usada mais de 30 vezes no Novo Testamento. O apóstolo Paulo usou esta expressão especialmente como representação da igreja. Depois que Jesus ascendeu ao céu, Ele entregou Sua missão a homens e mulheres falhos e desajeitados. Ele assumiu o papel de cabeça da Igreja, deixando as tarefas dos braços, pernas, ouvidos, olhos e voz para os discípulos errantes — e para mim e você.

Sem medo

Quase todas as vezes que um anjo aparece na Bíblia, suas primeiras palavras são: “Não temas” (Daniel 10:12,19; Mateus 28:5; Apocalipse 1:17). Não admira. Quando o sobrenatural entra em contato com o planeta Terra, costuma deixar os observadores humanos prostrados e amedrontados. Mas Lucas fala de Deus fazendo uma aparição na Terra de um modo nada assustador. Em Jesus, nascido numa estrebaria e deitado numa manjedoura, Deus encontra um modo de aproximação que não precisamos temer. O que poderia ser menos assustador do que um recém-nascido?

Mantendo a fé

É tentador pensar na fé como uma fórmula mágica. Se você acumular o suficiente, ficará rico, saudável e terá uma vida feliz com respostas automáticas para todas as suas orações. Mas a vida não funciona assim. Como prova, o autor de Hebreus apresenta um lembrete comovente do que constitui a “verdadeira fé”, repassando a vida de alguns gigantes da fé do Antigo Testamento (Hebreus 11).

Rede de segurança

Durante anos, considerei o Sermão do Monte (Mateus 5–7) um modelo para o comportamento humano, um padrão inatingível para qualquer um. Como consegui perder o verdadeiro significado? Jesus não falou aquelas palavras para nos frustrar, mas para nos dizer como Deus é.

Início de Páscoa

A lgo na história da Páscoa sempre me intrigou. Por que Jesus permaneceu com as cicatrizes da Sua crucificação? Ele poderia ter tido qualquer corpo ressuscitado que quisesse; ainda assim, escolheu um identificável principalmente por cicatrizes que poderiam ser vistas e tocadas. Por quê?