Our Authors

ver tudo

Articles by Mart De Haan

Sozinho no espaço


O astronauta do Apollo 15, Al Worden, sabia o que significava estar no outro lado da lua. Por três dias em 1971, ele voara sozinho em seu módulo de comando, Endeavor, enquanto dois tripulantes trabalhavam a milhares de quilômetros abaixo na superfície da Lua. Suas únicas companheiras eram as estrelas acima, das quais recordava, serem tão espessas que pareciam envolvê-lo em uma camada de luz.


Alguém para Toque


Os passageiros de um vagão do Metrô canadense testemunharam um momento tenso. Eles viram como uma mulher de 70 anos, gentilmente estendeu a mão e a ofereceu a um jovem cuja voz alta e palavras perturbadoras estavam assustando os outros passageiros. A bondade daquela senhora acalmou o homem que caiu no chão do trem com lágrimas nos olhos. Ele disse: “Obrigado, vovó”, levantou-se e foi embora. Mais tarde, a mulher admitiu que sentiu medo. Mas disse: “Sou mãe e ele precisava de alguém para tocá-lo.” Um juízo melhor poderia ter lhe feito manter a distância, mas ela aceitou correr esse risco por amor.


Oriente e Ocidente


Quando os alunos do sudeste da Ásia tiveram aulas com um professor visitante, este aprendeu uma lição. Depois de dar aos alunos um teste de múltipla escolha, surpreendeu-se ao descobrir muitas perguntas sem resposta. Enquanto devolvia os testes corrigidos, ele sugeriu que, da próxima vez, em vez de deixar respostas em branco eles deveriam dar um palpite. Surpreso, um dos estudantes levantou a mão e perguntou: “E se eu acidentalmente acertar a resposta? Estaria dando a entender que sabia a resposta.” O aluno e professor tinham perspectivas e práticas diferentes.


Entrevista surpresa


Certa manhã, no trem lotado em Londres, um dos passageiros empurrou e insultou outro viajante que ficou em seu caminho. Foi o tipo de situação infeliz e sem sentido que normalmente fica sem solução. Mas, naquele mesmo dia, aconteceu o inesperado. Um gerente de negócios enviou uma mensagem aos seus amigos das redes sociais: “Adivinhem quem acabou de aparecer para uma entrevista de emprego?” Quando a sua explicação apareceu na internet, as pessoas  ao redor do mundo riram com vontade. Imagine ir a uma entrevista de emprego apenas para descobrir que a pessoa que o recebe é a que você empurrou e xingou mais cedo naquele dia.


Lar


Estêvão, um jovem africano refugiado não tem país, é apátrida. Talvez tenha nascido em Moçambique ou no Zimbábue, mas não conheceu seu pai e já perdeu a mãe. Ela fugiu da guerra civil, viajando pelo mundo como vendedora de rua. Sem documento de identidade e incapaz de provar onde nasceu, Estêvão entrou numa delegacia de polícia, pedindo para ser preso. Para ele, a prisão parecia algo melhor do que tentar viver nas ruas sem os direitos e benefícios da cidadania.


Anel da invisibilidade


O filósofo grego Platão (427–348 a.C.) encontrou uma forma imaginativa para fazer a luz brilhar no lado obscuro do coração humano. Ele contou a história de um pastor que inocentemente descobriu um anel de ouro que tinha sido escondido no fundo da Terra. Certo dia, um grande terremoto abriu uma antiga fenda na montanha, revelando o anel para o pastor. Por acaso, ele também descobriu que o anel tinha a capacidade mágica de permitir ao seu usuário tornar-se invisível quando quisesse. Pensando sobre invisibilidade, Platão fez esta pergunta: Se as pessoas não tivessem que se preocupar em serem pegos e punidos, eles resistiriam a fazer algo errado?


Árvore do rio


Esta árvore era digna de inveja. Crescendo na propriedade ribeirinha, não precisava se preocupar com boletins meteorológicos, temperaturas devastadoras, ou um futuro incerto. Nutrida e resfriada pelo rio, passou os seus dias levantando seus ramos para o sol, sedimentando a terra com as suas raízes, limpando o ar com suas folhas e oferecendo sombra a todos os que precisavam refugiar-se do sol.


O Advogado


De uma cela de prisão na Flórida em junho de 1962, Clarence Earl Gideon pediu ao Supremo Tribunal dos Estados Unidos para rever a sua condenação por um crime que ele afirmava não ter cometido, acrescentando que não tinha os recursos para contratar um advogado.


Crescendo ao vento


Imagine o mundo sem o vento. Os lagos seriam calmos. As folhas não voariam pelas ruas. Mas com o ar parado, quem esperaria que as árvores caíssem de repente? Foi o que aconteceu em uma cúpula de vidro de 1,2 hectares construída no deserto do Arizona, EUA. Dentro de uma enorme bolha sem vento, chamada Biosfera 2, as árvores cresceram mais rapidamente do que o normal, até desabarem de repente. Os pesquisadores acabaram achando uma explicação. As árvores necessitavam do estresse do vento para crescerem fortes.


Amor inimigo

Quando a guerra irrompeu em 1950, Kim Chin-Kyung, de 15 anos, se alistou no exército da Coreia do Sul para defender sua pátria. Porém, logo descobriu que não estava pronto para os horrores daquele combate. Enquanto jovens amigos morriam à sua volta, ele implorou a Deus por sua vida e prometeu que, se Deus lhe permitisse viver, aprenderia a amar os seus inimigos.

Ligando os pontos

O artista francês Georges Seurat (1880) apresentou uma forma de arte conhecida como pontilhismo. Ele usava pequenos pontos de cor, em lugar de pinceladas de pigmentos misturados, para criar a imagem artística. De perto, sua obra se parece com agrupamentos de pontos individuais. Contudo, se o observador recua, o olho humano combina os pontos formando retratos ou paisagens brilhantemente coloridas.

A viagem definitiva

A Estrada Nacional 5 de Madagascar oferece a beleza de uma costa com areia branca, bosques de palmeiras e o Oceano Índico. Mas, com seus 200 km de pista única, rochas, areia e lama, ela é uma das piores estradas do mundo. Turistas em busca de vistas deslumbrantes precisam de um veículo com tração nas quatro rodas, um motorista experiente e um mecânico a bordo.