Our Authors

ver tudo

Articles by Mart DeHaan

Vendo a luz

Nas ruas da cidade, um dependente químico sem-teto entrou no Abrigo Social e pediu ajuda. Logo, começou o longo caminho para a recuperação de Bruno.

O grande médico

Quando o Dr. Rishi Manchanda pergunta aos seus pacientes: “Onde você mora?”. Ele quer saber mais do que o endereço. Ele descobriu que quem procura a ajuda dele, normalmente, vive em condições ambientais precárias. O mofo, as pragas e as toxinas os adoecem. Assim sendo, o Dr. Manchanda se tornou defensor do que ele chama de “Médicos Rio Acima”: são…

O presente dos Sábios

Um jovem casal tinha mais amor do que dinheiro. Certo Natal, eles se esforçaram para encontrar um presente que mostraria o quanto eles se amavam. Finalmente, na véspera do Natal, Della vendeu seu longo cabelo para comprar uma corrente de platina para o relógio que Jim herdara de seu pai e seu avô. Jim, no entanto, vendeu o relógio para…

Não sou eu

Considerado um dos mais célebres maestros de orquestras do século 20, Arturo Toscanini é lembrado por seu desejo de dar crédito a quem é devido. No livro Dictators of the Baton (Ditadores da batuta), o autor David Ewen descreve como os membros da Orquestra Filarmônica de Nova Iorque levantaram-se e aclamaram Toscanini no final de um ensaio da Nona Sinfonia…

Família dos sonhos?

A autora, Elisa Morgan, diz que nós aceitamos o mito da família perfeita e afirma: “Promessas prontas a respeito da família podem ter surgido com boas intenções, mas esta forma de pensar não é realista, em nada ajuda e nem faz bem.”

A família é uma instituição imperfeita. Pessoas desestruturadas se tornam pais desestruturados que constroem famílias sem estrutura. Mas, na…

Os dois ladrões

No ano 33 d.C. a crucificação de três homens mudou o curso da história. Seus executores martelaram lhes os pulsos e tornozelos. Cena comum naquela época, e ainda falamos sobre elas hoje. Um deles morreu sentindo-se culpado e com culpa sobre si. Outro morreu como pecador, mas sem a culpa sobre si. O terceiro morreu com a culpa sobre si,…

A Bíblia e a poda de flores

As palavras da Bíblia podem parecer-se às flores cortadas. As palavras de Jesus, e também as leis de Moisés, podem ser escolhidas seletivamente e organizadas para servir as intenções temporárias e a satisfação de qualquer pessoa. Mas, uma vez que as palavras são podadas das hastes e raízes da história que estão contando, elas começam a perder o significado como…

Quem ou o quê mudou?

Malaquias, o último profeta das Escrituras hebraicas, citou Deus dizendo: “Porque eu, o Senhor, não mudo…” (3:6).

Entretanto, através dos séculos, muitos perceberam que, em algum lugar entre o Antigo e o Novo Testamento, o Deus da Bíblia parece ter mudado. Em vez de enviar guerra, enchentes, fogo e pragas, as páginas iniciais do Novo Testamento descrevem um Pai que enviou…

Por que compartilhar a nossa fé pode ser difícil

Alguns seguidores de Cristo parecem achar natural compartilhar a sua fé com outras pessoas. Conversas normais, mesmo com pessoas desconhecidas, tornam-se encontros espirituais. Eles anteveem os obstáculos ao longo do caminho, respondem gentilmente as objeções e muitas vezes têm uma história que termina com mais um coração transformado.

Do lado de fora, muitos de nós invejamos tais pessoas. Gostaríamos de…

Uma fé que funciona

A fé e as obras podem existir separadamente?

Os autores do Novo Testamento parecem estar tão preocupados em responder esta pergunta que algumas vezes dão a impressão de se contradizerem.

Em alguns textos, por exemplo, o apóstolo Paulo se esforça ao máximo para enfatizar que a salvação é exclusivamente pela fé sem qualquer vestígio ou traço de esforço humano (Tito…

Pensamentos roubados

Quando minha mulher e eu viajávamos por outro estado, alguém arrombou nosso carro após pararmos para almoçar. Olhando para o vidro estilhaçado, percebemos que havíamos nos esquecido de esconder o aparelho de GPS.

Deus em Julgamento

Após sobreviver aos horrores dos campos de concentração nazistas, Elie Wiesel escreveu o romance The Trial of God (O Julgamento de Deus). Refletindo sua própria crise de fé, Wiesel criou um personagem que acusa Deus de “hostilidade, crueldade e indiferença” por, silenciosamente, voltar as costas ao Seu povo em tempos de necessidade. Nesta trama, o único que vem em defesa…