Our Authors

ver tudo

Articles by Elisa Morgan

Feito à mão para você

Minha avó foi uma costureira talentosa e premiada que, ao longo da minha vida, celebrou ocasiões importantes com presentes feitos à mão: um suéter na formatura, uma colcha no meu casamento. Em cada item customizado, eu encontrava sua etiqueta, que dizia: “Feito pra você pela vovó”. Em cada palavra bordada, eu sentia seu amor por mim e recebia uma declaração poderosa de sua fé em meu futuro.

Fora de contexto

Na fila para o voo, alguém me cutucou. Virei-me e recebi um cumprimento caloroso. “Elisa! Você se lembra de mim? Sou a Joana!”. Minha mente foi à procura das “Joanas” que eu conhecia, mas não a localizou. Será que era uma vizinha? Uma colega de trabalho? Eu não sabia…

A árvore “Esperança”

Depois de enfeitar a árvore de Natal com luzes brilhantes e laços, batizei-a de “Esperança”. Meu marido e eu esperávamos, por mais de quatro anos, adotar um bebê. Certamente viria no Natal!

Conversas difíceis


Uma vez, dirigi uma longa distância para ter uma conversa difícil com um membro da equipe. Eu soubera, por terceiros, que essa pessoa estava deturpando a reputação da empresa, e isso me preocupava. Senti que deveria dizer algo que pudesse mudar as escolhas dele.


Brilhando

“Brilha, brilha, estrelinha” é uma canção de ninar. A letra é um poema de Jane Taylor e capta a maravilha do Universo de Deus, no qual as estrelas brilham “lá no alto”. Nas últimas estrofes raramente publicadas, a estrela age como um guia: “Seu brilho pequenininho ilumina os viajantes no escuro”.


Fome do coração

No carro, enquanto acompanhava meu marido em seus compromissos, chequei os e-mails e fiquei surpresa com o anúncio de uma loja local de “sonhos deliciosos”, por onde tínhamos acabado de passar. De repente, meu estômago roncou de fome. Fiquei maravilhada como a tecnologia permite que os comerciantes nos atraiam para os seus estabelecimentos.

Fechando o telefone, refleti sobre o anseio constante…

Escondendo nossas mágoas

Eu tinha sido convidada a falar em uma igreja, e meu tema era uma história sincera sobre como apresentamos o nosso quebrantamento perante Deus e recebemos a cura que Ele deseja conceder. Antes de terminar com uma oração, o pastor se colocou no corredor central, olhou profundamente nos olhos dos seus congregantes, e disse: “Como seu pastor, tenho o privilégio…

Em cima de uma árvore

Minha mãe encontrou minha gatinha “Vívida” em cima da bancada da cozinha devorando o pão caseiro. Bufando de frustração, ela a expulsou porta afora. Horas mais tarde, procuramos em nosso jardim pela gatinha perdida, sem sucesso. Um miado fraco sussurrou ao vento, e olhei para o alto de uma árvore, onde uma mancha negra pendia num galho.

Em sua ânsia de…

Qualquer lugar

Mexendo numa caixa com as fotos de meu casamento, meus dedos pararam em um retrato meu e de meu cônjuge, recém-declarados “marido e mulher”. Minha dedicação a ele estava óbvia em minha expressão. Eu iria para qualquer lugar com ele.

Quase quatro décadas mais tarde, nosso casamento segue firmemente entrelaçado com o amor e compromisso que tem nos sustentado através dos tempos…

Transmitindo o legado

Meu celular apitou indicando o recebimento de mensagem. A minha filha queria a receita da torta de sorvete de menta da minha avó. Enquanto percorria os cartões amarelados da minha antiga caixa de receitas, meus olhos avistaram a letra peculiar de minha avó — e diversas anotações na letrinha da minha mãe. Ocorreu-me que, com o pedido de minha filha, a…

Uma tigela de bênçãos

O plim conhecido da chegada de e-mail chamou minha atenção enquanto escrevia no computador. Normalmente tento resistir à tentação de ler cada e-mail, mas o assunto dele era atraente demais: “Você é uma bênção”.

Ansiosa, abri e descobri que uma amiga distante dizia que estava orando por minha família. A cada semana, ela coloca uma foto em sua “tigela de…

Todos os dias


Empilhei as compras no meu carro e saí do meu lugar de estacionamento. De repente, um homem atravessou em frente ao meu veículo, sem perceber minha aproximação. Eu pisei forte nos freios, evitando um acidente. Assustado, ele olhou para cima e encontrou o meu olhar. Naquele momento, sabia que tinha uma escolha: responder com frustração explícita em meus olhos ou oferecer um sorridente perdão. Eu sorri.