Our Authors

ver tudo

Articles by David C. McCasland

Segurando a cruz

Em 1856, o grande pregador Charles Spurgeon, de Londres, fundou uma “Faculdade de Pastores” a fim de treinar homens para o ministério cristão. Em 1923, foi renomeado como Universidade Spurgeon. O brasão atual da faculdade mostra uma mão segurando uma cruz e as palavras em latim: Et Teneo, Et Teneor, que significam: “Seguro e sou segurado”. Em sua autobiografia, Spurgeon escreveu: “Esse é o lema de nossa faculdade. Empunhamos a Cruz de Cristo com mão audaz porque essa Cruz nos mantêm firmes por seu poder de atração. Desejamos que todo o homem possa permanecer na Verdade e ser fortalecido por ela; especialmente a verdade do Cristo crucificado.”

Os lembretes de Deus

Meu amigo Bob Horner se refere a Jesus como “o Mestre dos Lembretes”. E isso é bom, porque somos muito indecisos e esquecidos. Independentemente da frequência com que Jesus supria as necessidades das pessoas que o procuravam, quando Ele estava aqui na Terra, Seus primeiros discípulos temeram ser, de algum modo, abandonados com necessidades. Mesmo após testemunharem milagres, eles não compreendiam o significado maior daquilo que o Senhor desejava que eles se lembrassem.

Orando por você hoje

Q uando enfrentamos uma situação desconcertante ou um problema difícil, geralmente pedimos a nossos irmãos em Cristo que orem por nós. É um grande encorajamento saber que outros se preocupam e nos colocam diante de Deus em oração. Mas e se você não tem amigos próximos que sejam cristãos? Talvez você more onde o evangelho de Cristo seja rejeitado. Quem vai orar por você?

Palavras para o cansado

A lguns dias após seu pai morrer, C. S. Lewis, que estava com 30 anos, recebeu uma carta da mulher que havia cuidado da sua mãe enferma, até ela vir a falecer, duas décadas antes. A mulher oferecia seus sentimentos pela perda do pai dele, perguntando-lhe se ele se lembrava dela. “Minha querida enfermeira Davison,” eles respondeu. “Se me lembro de você? Mas é claro que sim.”

Além do tempo

Em 2016, companhias de teatro na Inglaterra e ao redor do mundo encenaram produções especiais para marcar o 400.º aniversário da morte de William Shakespeare. Concertos, palestras e festivais atraíram multidões que celebraram a duradoura obra do homem amplamente considerado como o maior dramaturgo da língua inglesa. Ben Jonson, um dos contemporâneos de Shakespeare, escreveu sobre ele: “Ele não pertencia a uma era, mas a todos os tempos.”

Boa imitação

“Hoje vamos jogar um jogo chamado Imitação,” o pastor disse às crianças sentadas ao seu redor para ouvir o sermão. “Eu vou dizer o nome de algo e vocês me mostram o que isso faz. Prontos? Galinha!” As crianças bateram os braços, cacarejaram e imitaram o canto dos galos. O seguinte foi o elefante, depois um jogador de futebol, e então uma bailarina. O último foi Jesus. Muitas crianças hesitaram, mas um menino de seis anos, com um grande sorriso no rosto, imediatamente abriu os braços amplamente como que em acolhimento. A congregação aplaudiu.

Moldando seus pensamentos

Quando Marshall McLuhan disse “o meio é a mensagem”, em 1964, não tínhamos computadores pessoais, celulares e internet. Hoje entendemos sua antevisão de como o nosso pensamento é influenciado na era digital. No livro The Shallows: What the Internet Is Doing to Our Brains (Os superficiais: O que a internet está fazendo aos nossos cérebros), Nicholas Carr escreve: “[A mídia] fornece o substrato do pensamento, mas também molda esse processo. E o que a internet parece estar fazendo é diminuir minha capacidade de concentração e contemplação. Quer eu esteja on-line ou não, agora minha mente espera absorver informação do modo como a internet a distribui: numa rápida torrente de partículas.”

Que possamos

Enquanto estava na fila de uma atração do parque temático, notei que a maioria das pessoas estavam conversando e sorrindo, em vez de reclamar da longa espera. Isso me fez ponderar sobre o que fazia da espera naquela fila uma experiência agradável. A resposta pareceu ser que pouquíssimas pessoas estavam ali sozinhas. Em vez disso, amigos, famílias, grupos e casais estavam compartilhando a experiência, o que era muito diferente do que ficar parado e sozinho.

Mais do que podemos imaginar

A lguém sugeriu que os cinco melhores brinquedos de todos os tempos são: vara, caixa, corda, tubo de papelão, sujeira. Todos são facilmente disponíveis, versáteis, adequados a todas as idades, cabem em todos os orçamentos e são alimentados pela imaginação. Não necessitam de baterias.

Preço da admissão

T odos os anos, cerca de dois milhões de pessoas de todo o mundo visitam a Catedral de Saint Paul, em Londres. A taxa de entrada para ver a magnífica estrutura projetada e construída por Sir Christopher Wren, no século 17, vale a pena. O turismo neste lugar de culto cristão é secundário. Sua principal missão é “permitir que as pessoas em toda a sua diversidade encontrem a presença transformadora de Deus em Jesus Cristo.” Se você quiser visitar o prédio e admirar a arquitetura, deve pagar uma entrada. Mas não há taxa alguma para participar de qualquer um dos seus cultos diários.

Marcar passo

A ordem militar “marcar passo” significa marchar sem sair do lugar. É uma pausa ativa no movimento para a frente, permanecendo mentalmente preparado e esperando com expectativa a próxima ordem.

Há algo que eu deveria saber?

O cantor e compositor David Wilcox respondeu a uma pergunta da plateia sobre como ele compõe músicas. E disse que há três aspectos nesse processo: um quarto silencioso, uma página em branco, e a pergunta: “Há algo que eu deveria saber?”. Pareceu-me uma abordagem maravilhosa para os cristãos que buscam o plano do Senhor para o andar diário.