Our Authors

ver tudo

Articles by Amy Boucher Pye

Na videira

Certa primavera, após um inverno particularmente sombrio durante o qual Emma ajudou uma pessoa doente da sua família, ela se encorajava cada vez que passava por uma cerejeira perto de sua casa em Cambridge, Inglaterra. No topo das flores rosas cresceram flores brancas. Um jardineiro criativo tinha enxertado na árvore um ramo de flores brancas. Quando Emma passava pela árvore incomum, pensava nas palavras de Jesus sobre ser Ele a Videira e Seus seguidores os ramos (vv.1-8).

Reconstruindo sonhos

Estêvão cresceu no leste de Londres e com 10 anos entrou para o crime. Ele disse: “Se todo mundo está vendendo drogas e fazendo roubos e fraudes, então você também se envolve. É apenas um modo de vida”. Mas, aos 20 anos, ele teve um sonho que o transformou. Ele ouviu o Senhor lhe dizendo: “Estêvão, você será preso por assassinato”. Esse sonho foi muito impactante e lhe serviu como um aviso. Estêvão voltou-se para Deus, recebeu Jesus como seu Salvador e o Espírito Santo transformou a vida dele.

Labutando para Deus

Talvez quem cresceu na mesma vila inglesa com William Carey (1761–1834) tenha pensado que ele não faria muito, porém hoje ele é considerado o pai das missões modernas. Nascido de pais tecelões, ele foi professor e sapateiro não muito bem-sucedido, mas aprendeu sozinho o grego, o hebraico e o latim. Anos depois, tornou-se missionário na Índia. Enfrentou dificuldades, a morte de um filho, os problemas de saúde mental de sua esposa e a falta de resposta daqueles a quem serviu.

Como encontrar paz

“O que você pensa a respeito da paz?”, meu amigo me perguntou. “Paz?, não tenho certeza, mas por que a pergunta?”. Ele me respondeu: “Bem, enquanto você sacudia seus pés durante o culto, achei-a inquieta por algo. Você já refletiu sobre a paz que Deus dá aos que o amam?”.

Desatando a corda

Uma organização cristã promove a natureza terapêutica do perdão, e uma de suas atividades é um esquete no qual a pessoa que foi injustiçada é amarrada com uma corda ao transgressor. Só quem sofreu o pecado pode desatar a corda. Não importa o que fizer, terá alguém em suas costas. Sem perdão, sem desatar a corda, não há escape.

Deus salvou minha vida

Aos 15 anos, Arão começou a invocar a Satanás e relatou: “Senti como se nós fôssemos parceiros”. Arão começou a mentir, roubar e manipular sua família e amigos. Ele também teve pesadelos: “Certa manhã acordei e vi o diabo ao pé da cama. Ele me disse que eu passaria nas provas escolares e depois morreria. No entanto, quando terminei meus exames, continuei vivo”. E concluiu: “Ficou claro para mim que ele era um mentiroso”.

Pelo vale

Hae Woo (nome fictício) esteve num campo de trabalhos forçados na Coreia do Norte por cruzar a fronteira para a China. Seus dias e noites eram uma tortura: vigilância brutal, trabalho extenuante, poucas horas de sono no chão gelado e repleto de ratos e piolhos. Mas Deus a ajudou diariamente, inclusive, mostrando-lhe com quais prisioneiras poderia fazer amizades e compartilhar sua fé.

Obscurecido pelas nuvens

A superlua rara apareceu em novembro de 2016: a Lua em sua órbita alcançou o ponto mais próximo da Terra nos últimos 60 anos e pareceu maior e mais brilhante do que das outras vezes. Mas, para mim, o céu estava nublado e cinzento naquele dia. Vi fotos lindas dessa maravilha que os meus amigos tiraram de outros lugares e precisei acreditar que a superlua estava escondida atrás das nuvens.

Acolhendo estrangeiros

Quando os meus amigos moraram na Moldávia, um dos países mais pobres da Europa, ficaram impressionados com a recepção calorosa que tiveram, especialmente por parte dos cristãos. Uma vez, levaram algumas provisões para um casal pobre da igreja que abrigava diversas crianças. O casal os tratou como hóspedes de honra, dando-lhes chá e algo para comer. Saíram dali maravilhados com a hospitalidade e levando os presentes de frutas e legumes.

Sacrifício vivo

Minha tia-avó tinha um excelente trabalho na área de publicidade e viajava bastante. No entanto, ela optou por desistir da carreira por amor aos pais. Eles viviam em outro estado e precisavam de cuidados. Os irmãos dela haviam morrido jovens em circunstâncias trágicas, e ela era a única filha viva. Para ela, servir aos pais era uma expressão da sua fé.

Sempre um filho de Deus

Durante um culto ao qual eu assistia com os meus pais, de acordo com a prática comum, demos as mãos ao orarmos o Pai Nosso. De pé, com uma das mãos segurando a mão da minha mãe e a outra segurando a do meu pai, fui tomada pelo pensamento de que sempre serei filha deles. Embora esteja na meia-idade, ainda posso ser chamada de “filha do Leo e da Phyllis”. Refleti que não sou apenas filha deles, mas que serei sempre filha de Deus.

O mensageiro

“Tenho uma mensagem para você!”. Uma mulher que trabalhava na conferência que eu estava participando me entregou um pedaço de papel, e perguntei-me se deveria ficar nervosa ou feliz. Mas, quando li: “Você ganhou um sobrinho!”, sabia que poderia me alegrar.