Our Authors

ver tudo

Articles by Amy Boucher Pye

Ouvintes e praticantes

Durante a noite, o telefone tocou para meu marido, que é pastor. Uma das guerreiras de oração de nossa igreja, uma senhora de 70 e poucos anos que morava sozinha, estava sendo levada ao hospital. Ela estava tão doente que não mais comia ou bebia, nem conseguia ver ou andar. Não sabendo se ela viveria ou morreria, pedimos a Deus por ajuda e misericórdia, sentindo-nos particularmente preocupados com o seu bem-estar. A igreja se pôs em ação com uma escala de visitadores 24 horas por dia, que não só ministravam a ela, mas demonstravam amor cristão por outros pacientes, visitantes e equipe médica.

O melhor negócio de todos os tempos

Quanto é o suficiente? Fazemos essa pergunta num momento em que os países desenvolvidos se dedicam cada vez mais ao consumo. Black Friday é um dia após o feriado de Ação de Graças nos EUA, no qual muitas lojas abrem cedo e oferecem descontos. Já se espalhou dos EUA para outras nações. Alguns compradores têm recursos limitados e estão tentando comprar algo a um preço que podem pagar. Mas infelizmente, para outros a motivação é a ganância, e são violentos quando disputam por barganhas.

Fé sacrificial

É domingo à tarde e estou sentada no jardim de casa, perto da igreja da qual meu marido é o pastor. Ouço músicas de louvor e adoração flutuando pelo ar no idioma Farsi. Nossa igreja em Londres acolhe uma congregação iraniana vibrante, e sentimo-nos comovidos pela paixão que nutrem por Cristo, à medida que eles compartilham algumas de suas histórias de perseguição e contam sobre aqueles, como o irmão do pastor-sênior, que foram martirizados por sua fé. Estes cristãos fiéis estão seguindo os passos de Estêvão, o primeiro mártir cristão.

Amor em ação

“V ocê quer que eu lave alguma roupa sua?”, perguntei a um de nossos visitantes. Seu rosto se iluminou e, quando sua filha passou por nós, ele lhe disse: “Pegue as suas roupas sujas — Amy vai lavá-las!” Eu sorri, percebendo que minha oferta havia se estendido de algumas peças para alguns fardos.

Ouvindo a Deus

Eu me sentia como se estivesse submersa; os sons eram abafados e emudecidos por um resfriado e alergias. Durante semanas, lutei para ouvir com clareza. Meu estado de saúde me fez perceber o quanto confio em minha audição.

Unidos em Cristo

Q uando encontramos uma lista de nomes na Bíblia, nossa primeira reação pode ser passar por cima desse texto. Mas podemos encontrar tesouros ali, como na lista dos doze apóstolos que Jesus chamou para servir em Seu nome. Muitos são familiares — Simão, a quem Jesus chamou Pedro, a rocha. Os irmãos Tiago e João, pescadores. Judas Iscariotes, o traidor. Mas seria fácil passar despercebido que Mateus, o coletor de impostos, e Simão, o Zelote, devem ter sido inimigos anteriormente.

Verdadeiras riquezas

No funeral do pai de minha amiga alguém disse a ela: “Até conhecer o seu pai, eu não sabia que uma pessoa conseguia se divertir enquanto ajudava os outros.” O pai dela fez a sua parte ao ajudar a edificar o reino de Deus por meio do serviço a outros, rindo e amando e conhecendo estranhos que se tornaram amigos. Quando morreu, ele deixou um legado de amor. Em contraste, a tia de minha amiga — irmã mais velha de seu pai— via os seus bens como seu legado e investiu seus últimos anos preocupando-se em encontrar alguém que protegesse suas relíquias e livros raros.

Pronta para o casamento

“Estou com fome,” disse minha filha de 8 anos. “Sinto muito,” eu respondi: “não tenho nada para você comer. Vamos jogar o jogo da velha.” Estávamos esperando há mais de uma hora pela chegada da noiva à igreja para o que deveria ser um casamento ao meio-dia. Enquanto me questionava quanto mais ainda esperaríamos, desejava poder ocupar minha filha até que o casamento começasse.

O porta-voz de Deus

Com os nervos à flor da pele, esperei o telefone tocar e a entrevista de rádio começar. Eu imaginava que perguntas o locutor faria e como eu responderia. “Senhor, eu sou muito melhor em papel”, orei. “Mas suponho ser o mesmo caso de Moisés — preciso confiar que me darás as palavras a dizer.”

Alívio do sol escaldante

Vivendo na Grã-Bretanha, não costumo me preocupar com queimaduras de sol. Afinal, o sol é frequentemente bloqueado por uma espessa camada de nuvens. Mas recentemente, passei algum tempo na Espanha e logo percebi que, com minha pele clara, eu só conseguia ficar sob a luz solar durante dez minutos, antes de precisar me abrigar sob o guarda-sol.

A lixa divina

A s palavras de minha amiga me magoaram. Tentei não remoer seus comentários sobre as minhas fortes opiniões e pedi pela sabedoria e paz de Deus. Semanas depois, ainda preocupada, orei: “Estou ferida, Senhor, mas mostra-me onde preciso mudar e em que parte ela está certa.”

Do pranto à alegria

“Estamos cortando a sua função.” Uma década atrás, essas palavras me fizeram cambalear quando a empresa onde eu trabalhava me demitiu. Na época, me senti arruinada, em parte porque a minha identidade estava entrelaçada ao meu papel como editora. Senti, recentemente, uma tristeza parecida ao saber que meu trabalho temporário tinha terminado. Mas desta vez não me senti abalada, pois com os anos, vi a fidelidade de Deus e como Ele pode transformar meu pranto em alegria.