Our Authors

ver tudo

Articles by Adam R. Holz

Um espinho perfurante

Um espinho perfurou o meu dedo, causando sangramento. Eu gemi e gritei, puxando a mão instintivamente. Mas não deveria ser surpresa: cortar um arbusto espinhoso sem luvas adequadas era uma receita perfeita para o que aconteceu.


Nosso Pai que canta

Antes de sermos pais, ninguém nos falou sobre o quanto era importante cantar. Meus filhos hoje têm 6, 8 e 10 anos e os três tiveram problemas para dormir. Toda noite, minha esposa e eu nos revezávamos para embalá-los, orando para que adormecessem logo. Passei horas embalando cada um, sussurrando desesperadamente canções de ninar na expectativa de acelerar o processo. Mas, ao cantar para as crianças noite após noite, algo incrível acontecia: eu aprofundava meu elo de amor e alegria com eles, de maneira que eu jamais imaginara.


Andar em obediência a Deus

“Vamos por este caminho”, eu disse ao tocar o ombro do meu filho e redirecioná-lo em meio à multidão para seguir a mãe e as irmãs à nossa frente. Fiz isso várias vezes no parque de diversão que estávamos visitando. Meu filho estava ficando cansado e se distraía com mais facilidade. Por que ele simplesmente não as segue?, eu pensava.


Construindo pontes

Em nosso bairro, altos muros de concreto cercam as casas, e muitos são reforçados com cercas elétricas. O propósito? Afastar os ladrões.


Em andamento ou concluído?

É gratificante terminar um trabalho. Cada mês, por exemplo, uma de minhas tarefas vai de “Em andamento” para “Concluído”. Amo clicar o botão “Concluído”. Porém, no mês passado, pensei: Se eu pudesse superar momentos difíceis de minha fé tão facilmente! Parece que a vida cristã está sempre em andamento.

Lembrei-me de que em Hebreus 10:14 está descrito como o sacrifício de Cristo…

Aquele homem sorridente

Ir até o mercado não é algo que eu particularmente goste de fazer. É apenas uma rotina que faz parte da vida — uma tarefa que precisa ser feita.

Mas há uma parte dessa tarefa pela qual, inesperadamente, fico ansioso: o Frederico. Ele transforma a hora do caixa num show. É incrivelmente rápido, tem sempre um grande sorriso, e até dança…

Abelhas e cobras

Certos problemas sobram sempre para o “pai”. Por exemplo, meus filhos descobriram abelhas numa rachadura do concreto da varanda. Então, depois de munir-me de repelentes, saí para a batalha. E ganhei 5 picadas!

Não gosto de ser picado por insetos. Porém antes eu do que meus filhos ou minha esposa. Afinal, cuidar do bem-estar da família está no topo de minhas…

Uma âncora em meio aos temores

Você é alguém que se preocupa? Eu sou, e luto com a ansiedade quase diariamente. Preocupo-me com coisas grandes, pequenas; e às vezes parece que com tudo. Na adolescência, chamei a polícia quando os meus pais se atrasaram por 4 horas.

As Escrituras repetidamente dizem para não temermos. Por causa da bondade e poder de Deus, e por Ele ter enviado…

“Amável!”

“Amável!” A exclamação veio de minha filha. Eu não sabia o que ela queria dizer. Então ela bateu em sua camiseta, herança de uma prima. Na frente, a palavra: “Amável.” Abracei-a com força, e ela sorriu. “Você é amável!”, retribuí. Seu sorriso ficou ainda maior, se é que isso era possível, enquanto se soltava e repetia a palavra.

Não sou um pai…

Transbordando

“Não! Não! NÃO!”, gritei. Não ajudou. Nem um pouco. Minha brilhante solução para o entupimento, que jorrou novamente, teve o resultado exatamente oposto ao que eu pretendia. Soube que tinha cometido um erro no segundo em que apertei a descarga. Fiquei parado, impotente, enquanto a água transbordava.

Quantas vezes nossas crianças tentam servir-se de leite, calculam mal, e o líquido branco…

Em nossas tempestades

O vento uivava, raios piscavam, ondas batiam. Achei que ia morrer. Meus avós e eu pescávamos no lago, mas ficamos tempo demais. Quando o Sol se pôs, uma rajada de vento balançou nosso pequeno barco. Vovô me mandou sentar na frente para evitar que o barco virasse. O terror inundou meu coração e comecei a orar. Eu tinha 14 anos.

Pedi…

Quando Deus nos preenche

“O que eu fiz?” Deveria ser uma das melhores épocas de minha vida, mas era a mais solitária. Eu tinha acabado de conseguir meu primeiro emprego “de verdade” depois da faculdade, numa cidade muito longe de onde eu crescera. Mas a adrenalina logo se dissipou. Meu apartamento era minúsculo, sem mobília, eu não conhecia a cidade e não conhecia ninguém. O trabalho…