Quando eu era criança, ficava na expectativa dos cultos de domingo à noite. Eram emocionantes, pois, com certa frequência, ouvíamos missionários e outros convidados. As mensagens deles me inspiravam por causa da disposição que tinham em deixar família e amigos — e, às vezes, casas, bens e carreiras — para servir a Deus em lugares estranhos e, às vezes, perigosos.

Como aqueles missionários, Eliseu deixou muitas coisas para trás para seguir a Deus (vv.19-21). Não sabemos muito sobre Eliseu antes de Deus chamá-lo para servir com Elias — exceto que ele era agricultor. Quando o profeta Elias o encontrou arando, jogou sua capa sobre os ombros de Eliseu (o símbolo de seu papel como profeta) e o chamou. Pedindo apenas para se despedir da mãe e do pai, Eliseu imediatamente sacrificou seu boi, queimou o arado, despediu-se dos pais e seguiu após Elias.

Embora muitos de nós não sejamos chamados a deixar família e amigos para servir a Deus como missionários em tempo integral, Ele quer que o sigamos e vivamos: “Cada um continue a viver na situação em que o Senhor o colocou, e cada um permaneça como estava quando Deus o chamou” (1 CORÍNTIOS 7:17). Como tenho vivenciado com frequência, servir a Deus pode ser emocionante e desafiador, não importa onde estejamos — mesmo que nunca saiamos de casa.