Sofri uma lesão em 1992, e sinto dor crônica na parte superior das costas, ombros e pescoço. Nos momentos desanimadores de intensa dor nem sempre é fácil confiar ou louvar o Senhor. Mas quando a situação se torna insuportável, a constante presença de Deus me conforta. Ele me fortalece e dá a segurança de Sua bondade imutável, poder ilimitado e graça sustentadora. Se me sinto induzida a duvidar do Senhor, sou encorajada pela fé determinada de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. Eles adoraram a Deus e confiaram em Sua presença, mesmo quando a situação parecia desesperadora.

Quando o rei Nabucodonosor ameaçou jogá-los na fornalha ardente se não se afastassem do verdadeiro Deus para adorar a sua estátua de ouro (vv.13,15), eles demonstraram a sua fé corajosa e confiante. Eles nunca duvidaram que o Senhor fosse digno de adoração (v.17), “mesmo se” Ele não os resgatasse daquela situação (v.18). Deus não os deixou sozinhos no momento de necessidade; esteve com eles e os protegeu na fornalha (vv.24,25).

Deus também não nos deixa sozinhos. Permanece conosco em meio às provações que podem ser tão destrutivas quanto aquela fornalha. Mesmo que o nosso sofrimento não termine deste lado da eternidade, Deus é e sempre será poderoso, confiável e bom. Podemos confiar em Sua presença constante e amorosa.