Na fábula “o porco e a galinha”, os dois animais discutem sobre a possibilidade de abrir um restaurante juntos. Ao planejar seu menu, a galinha sugere que sirvam presunto e ovos. O porco rapidamente diz: “Não, obrigado. Eu estaria comprometido e você só estaria envolvida.”

Embora o porco não se importasse de colocar-se no prato, sua compreensão de compromisso me ensina como seguir melhor a Deus com todo o meu coração.

Para proteger o seu reino, Asa, o rei de Judá, empenhou-se em romper um tratado entre os reis de Israel e Síria. Para isso, enviou tesouros pessoais, com “prata e ouro dos tesouros da Casa do Senhor” para obter favor com Ben-Hadade, o rei da Síria (v.2). Ben-Hadade concordou, e aliaram suas forças repelindo Israel.

Mas Hanani, o profeta de Deus, chamou Asa de tolo por confiar na ajuda humana em vez de em Deus que tinha entregue outros inimigos anteriormente em suas mãos. Hanani afirmou: “…seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é totalmente dele…” (v.9).

Ao enfrentarmos nossas próprias batalhas e desafios, lembremo-nos de que Deus é o nosso melhor aliado. Ele nos fortalece quando nos dispomos e nos comprometemos a “servi-lo” com sinceridade.