“Ninguém me vê!”

Quando as crianças mais novas brincam de “esconde-esconde”, às vezes, acreditam que são invisíveis apenas por cobrir seus olhos. Se elas não o veem, assumem que você também não as vê. Por mais ingênuo que isso nos pareça, agimos igual com Deus. Quando desejamos fazer algo errado, nossa tendência é afastar Deus disso, à medida que seguimos nosso próprio caminho voluntariamente.

O profeta Ezequiel descobriu isso na visão que Deus lhe deu para o Seu povo exilado na Babilônia. O Senhor lhe disse: “Viste, filho do homem, o que os anciãos da casa de Israel fazem nas trevas, cada um nas suas câmaras pintadas de imagens? Pois dizem: O Senhor não nos vê…” (Ezequiel 8:12). Mas Deus não perde nada, e a visão de Ezequiel era prova disso. No entanto, apesar de terem pecado, Deus ofereceu esperança ao Seu povo arrependido dizendo: “Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo…” (36:26).

Para nós, Deus convergiu o quebrantamento e rebelião do pecado com a Sua misericórdia na cruz, pagando o preço final por isso. Através de Jesus Cristo, Deus não só nos oferece um novo começo, mas também age em nós para mudar o nosso coração à medida que o seguimos. Como Deus é bom! Quando estávamos perdidos e nos escondendo em nossa pecaminosidade, Deus aproximou-se através de Jesus, que “veio [nos] buscar e salvar” (Lucas 19:10; Romanos 5:8).