Gosto muito de montanhas superaltas. Sempre que estou na borda de uma delas, vejo pinceladas novas da obra de Deus de tirar o meu fôlego.

Mesmo que seja apenas uma imensa “cratera” no chão, a grandeza dos vales e montanhas me fazem refletir sobre o Céu. Uma criança de 12 anos me perguntou: “Será que o Céu será monótono? Você não acha que vamos nos cansar de louvar a Deus o tempo todo? “Mas se uma “cratera no chão” pode ser tão esmagadoramente bela, que não podemos deixar de lhe olhar, só podemos imaginar a alegria que um dia teremos ao ver a própria Fonte da beleza — nosso amoroso Criador — em toda a primitiva maravilha da nova criação.

Davi expressou este anseio quando escreveu: “Uma coisa peço ao Senhor, e a buscarei: que eu possa morar na Casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do Senhor e meditar no seu templo” (27:4). Não há nada mais belo do que a presença de Deus, que se aproxima de nós nesta Terra à medida que o buscamos pela fé, ansiando por vê-lo face a face.

Nesse dia, jamais cansaremos de louvar nosso incrível Senhor, porque nunca chegaremos ao fim de novas e revigorantes descobertas da Sua extraordinária bondade e das maravilhas das obras de Suas mãos. Cada momento em Sua presença trará uma revelação deslumbrante de Sua beleza e Seu amor.