Precisamos uns dos outros para chegar onde Deus nos quer. Nos Jogos Olímpicos no Rio em 2016, duas atletas na corrida de 5 km se sobressaíram. Aos 3.200 m da corrida, a neozelandesa Nikki Hamblin e a americana Abbey D’Agostino colidiram e caíram. Abbey levantou-se rapidamente e ajudou Nikki. Logo após, as duas atletas terem reiniciado a corrida, Abbey começou a vacilar, pois ferira-se na queda. Agora era a vez de Nikki parar e encorajar a colega atleta a terminar a corrida. Quando Abbey finalmente alcançou a linha de chegada, Nikki a esperava para abraçá-la. Que belo exemplo de mútuo encorajamento!

Isso me lembra uma passagem na Bíblia: “Melhor é serem dois do que um […] Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante…” (vv.9,10). Como atletas em uma corrida espiritual, precisamos uns dos outros — talvez ainda mais, pois não competimos uns contra os outros, mas como membros da mesma equipe. Haverá momentos em que hesitaremos e precisaremos de alguém para nos levantar. Outras vezes, alguém poderá precisar de nosso encorajamento através de nossas orações ou nossa presença.

A corrida espiritual não deve ser feita sozinha. Deus o está orientando a ser como Nikki ou Abbey na vida de alguém? Responda ao Seu convite hoje, e prossigamos nesta corrida!