Quando eu era menino meus irmãos e eu, às vezes, batíamos boca sobre o tamanho da fatia de torta que mamãe nos servia. Um dia, papai observou nossas discussões com uma das sobrancelhas levantada e sorriu para mamãe, dizendo: “Por favor, me dê uma fatia tão grande quanto o seu coração.” Meus irmãos e eu assistimos atônitos em silêncio, enquanto a mãe sorria e lhe oferecia a maior fatia de todas.

Se nos concentramos em valorizar as posses alheias, muitas vezes, o resultado é o ciúme. No entanto, a Palavra de Deus eleva o nosso olhar para algo de maior valor do que as posses terrenas. O salmista escreve: “Tu, ó Senhor Deus, és tudo o que eu tenho; prometo obedecer às tuas leis. De todo o coração…” (Salmo 119:57,58). Inspirado pelo Espírito Santo, o escritor transmitiu a verdade de que nada mais importa do que a proximidade com Deus.

Que melhor porção poderíamos ter do que o nosso amoroso e ilimitado Criador? Nada na Terra pode comparar-se com Ele, e nada pode tirá-lo de nós. O desejo humano é um vazio que jamais se satisfaz; a pessoa pode ter “tudo” no mundo e ainda ser miserável. Mas quando Deus é a nossa fonte de felicidade, ficamos verdadeiramente satisfeitos. Há um espaço em nós que só Deus pode preencher. Só Ele pode nos conceder a paz que satisfaz o nosso coração.