Minha mãe, tão digna e respeitável em toda a sua vida, agora está em uma cama, não podendo mover-se por sua idade limitante. Lutando para respirar, a sua condição debilitante contradiz o lindo dia de primavera que dançava convidativo do outro lado da janela.

Toda a preparação emocional do mundo não pode nos preparar o suficiente para a crua realidade do adeus. A morte é uma indignidade!, pensei.

Desviei meu olhar para o alimentador de pássaros do lado de fora da janela. Um pardal voou para se alimentar de algumas sementes. Imediatamente uma frase familiar surgiu em minha mente: “E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai” (Mateus 10:29). Jesus havia dito isso aos Seus discípulos quando lhes deu ordens de marchar para uma missão na Judeia, mas o princípio se aplica a todos nós. “Bem mais valeis vós do que muitos pardais”, disse-lhes (v.31).

Minha mãe se mexeu e abriu os olhos. Lembrando de sua infância, ela usou um termo holandês carinhoso sobre sua própria mãe e declarou: “Muti está morta!”

“Sim”, minha esposa concordou. “Ela está com Jesus agora.” Desconfiada, mamãe continuou. E Joyce e Jim? Perguntou sobre a irmã e o irmão. “Sim, eles estão com Jesus também”, disse minha esposa. “Mas estaremos com eles logo!”

“É difícil esperar”, disse mamãe calmamente.