Nossas experiências de perda e desapontamentos podem nos deixar irados, culpados e confusos. Se nossas escolhas fecharam certas portas que nunca serão reabertas ou, sem que fosse culpa nossa, a tragédia invadiu a nossa vida, o resultado muitas vezes é o que Oswald Chambers chamou de: “a tristeza insondável do ‘poderia ter sido’”. Podemos tentar suprimir a memória dolorosa, mas descobrimos que é impossível.

Chambers nos lembra de que o Senhor ainda está ativo em nossa vida. “Nunca tenha medo quando Deus traz o passado de volta”, disse ele. “Deixe a memória percorrer o seu caminho, como um ministro de Deus com sua repreensão, castigo e tristeza. Deus transformará o ‘poderia ter sido’ em algo maravilhoso [lugar de crescimento] para o futuro.”

Nos dias do Antigo Testamento, quando Deus enviou o povo de Israel para o exílio na Babilônia, Ele lhes disse para servi-lo naquela terra estrangeira e crescer na fé até que Ele os trouxesse de volta à casa deles. “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais” (v.11).

Deus os exortou a não ignorar ou prender-se aos acontecimentos do passado, mas em vez disso se concentrarem nele e olharem para frente. O perdão do Senhor pode transformar a memória de nossa tristeza em confiança em Seu amor eterno.