Às vezes, brinco que escreverei um livro intitulado Na Hora Certa. Quem me conhece sorri por saber que, frequentemente, estou atrasada. Racionalizo que meu atraso é devido a otimismo, não a falta de tentar. Com otimismo, apego-me à falsa crença de que “desta vez” conseguirei fazer mais em menos tempo do que nunca antes. Porém, não consigo e não faço; com isso, acabo tendo de me desculpar mais uma vez por não chegar na hora.

Por outro lado, Deus sempre chega na hora certa. Podemos pensar que Ele está atrasado, mas Ele não está. As Escrituras falam de pessoas se impacientando com o tempo de Deus. Os israelitas esperaram longamente pelo Messias prometido. Alguns abandonaram as esperanças. Mas não Simeão e Ana. Diariamente, eles estavam no templo orando e esperando (Lucas 2:25,26,37). E sua fé foi recompensada. Eles viram o bebê Jesus quando Maria e José o levaram para ser consagrado (vv.27-32,38).

Quando desanimamos porque Deus não responde em conformidade com a nossa agenda, o Natal nos lembra de que “Vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho […] a fim de que recebêssemos a adoção de filhos” (Gálatas 4:4,5). O tempo de Deus é sempre perfeito e vale a pena esperá-lo.