As notícias do mundo nos bombardeiam pela internet, TV, rádio etc. A maioria parece contar o que está errado — crime, terrorismo, guerra e problemas econômicos. Há, porém, momentos em que boas notícias invadem as horas mais tenebrosas de tristeza e desespero — histórias de atos desprendidos, um avanço médico ou passos para a paz em locais marcados por guerra.

As palavras de dois homens registradas no Antigo Testamento levaram grande esperança aos cansados de conflitos.

Descrevendo o julgamento vindouro de Deus sobre uma nação rude e poderosa, Naum disse: “Eis sobre os montes os pés do que anuncia boas-novas, do que anuncia a paz!…” (v.15). Essa notícia levou esperança a todos os oprimidos pela crueldade.

Uma frase semelhante ocorre no livro de Isaías: “Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação…” (Isaías 52:7).

As palavras proféticas de Naum e Isaías encontraram seu cumprimento definitivo no primeiro Natal, quando o anjo disse aos pastores: “…Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lucas 2:10,11).

A manchete mais importante para a nossa vida, todos os dias, é a melhor notícia já contada — Cristo, o Salvador, nasceu!