No funeral do pai de minha amiga alguém disse a ela: “Até conhecer o seu pai, eu não sabia que uma pessoa conseguia se divertir enquanto ajudava os outros.” O pai dela fez a sua parte ao ajudar a edificar o reino de Deus por meio do serviço a outros, rindo e amando e conhecendo estranhos que se tornaram amigos. Quando morreu, ele deixou um legado de amor. Em contraste, a tia de minha amiga — irmã mais velha de seu pai— via os seus bens como seu legado e investiu seus últimos anos preocupando-se em encontrar alguém que protegesse suas relíquias e livros raros.

Em Seu ensino e por Seu exemplo, Jesus alertou os Seus seguidores a evitar o acúmulo de posses, dar aos pobres e a valorizar o que não enferruja ou deteriora. Jesus falou: “[Porque], onde está o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração” (Lucas 12:34).

Podemos pensar que nossas posses trazem significado à nossa vida. Mas quando o último aparelho quebra ou quando perdemos algo de valor, começamos a perceber que é nosso relacionamento com o Senhor que satisfaz e permanece. É nosso amor e esmero pelos outros que não definha nem esvanece.

Peçamos ao Senhor que nos ajude a ver claramente o que valorizamos, para nos mostrar onde está o nosso coração e nos ajudar a buscar o Seu reino acima de tudo (12:31).