Na celebração do 50.º aniversário de sua mãe, com centenas de pessoas presentes, a filha primogênita Kukua contou o que sua mãe fizera por ela. Os tempos eram difíceis, em Gana, África, recordou Kukua, e o dinheiro era escasso em casa. Mas sua mãe solteira se privou de conforto pessoal, vendendo suas preciosas joias e outros bens para que ela pudesse cursar o Ensino Médio. Com lágrimas nos olhos, Kukua disse que, por mais difíceis que as coisas fossem, sua mãe nunca abandonou os filhos.

Deus comparou o Seu amor por Seu povo ao amor de uma mãe por seu filho. Quando o povo de Israel se sentiu abandonado por Deus durante o seu exílio, queixou-se: “…O Senhor me desamparou, o Senhor se esqueceu de mim” (Isaías 49:14). Mas Deus disse: “Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti” (v.15).

Quando estamos angustiados ou desiludidos, podemos nos sentir abandonados pela sociedade, família e amigos, mas Deus não nos abandona. É um grande encorajamento o Senhor dizer “…nas palmas das minhas mãos te gravei…” (v.16) para indicar o quanto Ele nos conhece e protege. Mesmo que as pessoas nos abandonem, Deus nunca abandonará os Seus.