Chipe, chape. Os limpadores de para-brisas iam e vinham tentando dar conta da chuva forte. Porém, só aumentavam minha irritação enquanto eu me adaptava a dirigir o carro usado que havia acabado de comprar — uma velha perua com mais de 130 mil km e sem airbags laterais para as crianças.

Para comprar essa van e ter algum dinheiro muito necessário para mantimentos, eu tinha vendido o último “tesouro” que possuía: uma van Volvo 1992 com airbags laterais para as crianças. Naquele ponto, era o que nos restava. Nossa casa e nossas economias haviam desaparecido sob o peso de despesas médicas com doenças potencialmente fatais não cobertas pelo plano de saúde.

“Muito bem, Deus”, eu disse em voz alta, “agora nem posso mais proteger meus filhos contra colisões laterais. Se alguma coisa acontecer a eles, deixe-me dizer-lhe o que farei…”

Chipe, chape. (Engoli seco).

Fiquei instantaneamente envergonhado. Nos dois anos anteriores, Deus havia poupado minha mulher e meu filho de morte quase certa, no entanto, ali estava eu me lamentando sobre “coisas” que havia perdido. Percebi rapidamente como eu poderia me tornar ingrato com Deus. O Pai amoroso, que não poupou Seu próprio Filho para que eu pudesse ser salvo, havia, de fato, poupado o meu filho de maneira milagrosa.

“Perdoa-me, Pai”, orei. Já perdoei, meu filho.