O diplomata britânico Lancelot Oliphant (1881-1965) observou que muitos alunos dão respostas corretas em provas, mas não põem essas lições em prática. Ele declarou: “O conhecimento não digerido tem pouca utilidade.”

O autor Barnabas Piper percebeu um paralelo em sua própria vida: “Eu pensava estar próximo a Deus porque sabia todas as respostas”, disse ele, “mas havia me enganado ao pensar que isso era o mesmo que relacionamento com Jesus”.

Certo dia, no templo, Jesus encontrou pessoas que pensavam ter todas as respostas corretas. Elas proclamavam orgulhosamente seu status de descendentes de Abraão, contudo se recusavam a crer no Filho de Deus.

Jesus lhes disse: “…Se sois filhos de Abraão, praticai as obras de Abraão” (João 8:39). Como? Abraão “…creu no Senhor, e isso lhe foi imputado para justiça” (Gênesis 15:6). Ainda assim, os ouvintes de Jesus se recusaram a crer. “…[temos] um pai, que é Deus”, disseram (João 8:41). Jesus respondeu: “Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso, não me dais ouvidos, porque não sois de Deus” (v.47).

Piper se lembra de como as coisas “desmoronaram” para ele antes de “encontrar a graça de Deus e a pessoa de Jesus de uma maneira profunda”. Quando permitimos que a verdade de Deus transforme a nossa vida, ganhamos muito mais do que a resposta certa. Nós apresentamos o mundo para Jesus.