Quando em 2005, os ônibus vermelhos de duplo convés, de Londres, foram retirados do serviço regular, muitas pessoas acharam que haviam perdido um amigo. Esses ônibus haviam oferecido um serviço de confiança por 51 anos, e eram populares entre os usuários devido ao fácil acesso de entrada e saída. Alguns dos antigos ônibus ainda são utilizados em duas rotas de turismo, mas no restante da cidade, já não circulam mais.

Muitas mudanças em nossa vida representam perdas, quer sejam pequenas, como as queridas lembranças de um ônibus, quer grandes, como a casa destruída de uma família, um sonho fracassado ou a morte de alguém. Em cada uma dessas perdas, anelamos por um toque de cura e esperança.

O livro de Lamentações tem sido chamado: “o funeral de uma cidade”. Nele, Jeremias lamentou o cativeiro de seu povo e a destruição de Jerusalém. Contudo, em meio à tristeza, há uma celebração da fidelidade de Deus: “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade. A minha porção é o Senhor, diz a minha alma; portanto, esperarei nele” (Lamentações 3:22-24).

Quando os nossos corações sofrem por alguma perda, podemos encontrar esperança em nosso Senhor, que nunca muda.