Os aquecedores modernos são usados para esquentar as casas em climas frios. Mas nos tempos passados, o fogo era cuidadosamente supervisionado e o suprimento de combustível era monitorado atentamente. Ficar sem ele poderia ser fatal.

O mesmo acontece em nossa vida espiritual. Se pensarmos que nosso “fogo espiritual” pode ser aceso assim, facilmente, como um aquecedor moderno, estamos nos arriscando a perder nosso fervor pelo Senhor.

No antigo Israel, os sacerdotes eram instruídos para que o fogo fosse mantido aceso no altar (Levítico 6:9,12,13). Isso exigia muito trabalho, e grande parte dele consistia em buscar madeira para queimar, numa terra sem densas florestas.

Alguns estudiosos veem o fogo do altar como um símbolo da chama de nossa devoção pelo Senhor. A paixão espiritual é algo que não deve ser negligenciado ou tomado como óbvio. Ela esfriará se falharmos em mantê-la acesa com o devido suprimento.

Em sua carta aos Romanos, o apóstolo Paulo referiu-se a essa questão do fervor espiritual (12:1,2,11). Para manter alto o nosso fervor espiritual, devemos continuar o trabalho de manter nosso suprimento de combustível, com esperança, paciência, oração perseverante, generosidade, hospitalidade e humildade (vv.11-16).