Paul Gerhardt, um pastor na Alemanha do século 17, tinha todas as razões para estar descontente. A sua esposa e seus quatro filhos tinham morrido; a Guerra dos Trinta Anos havia deixado morte e devastação por toda a Alemanha. Os conflitos das igrejas e a interferências políticas tinham enchido a sua vida de sofrimento. Mas, apesar da grande angústia pessoal, ele escreveu mais de 130 hinos, muitos deles caracterizados por alegria e devoção a Jesus Cristo.

Existe alguma situação na qual não possamos experimentar a alegria que Deus nos dá, sendo que o Seu amor superabundante foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo? (Romanos 5:5).

Durante um tempo de grande sofrimento pessoal, o apóstolo Paulo descreveu a sua experiência como estando “…entristecidos, mas sempre alegres; pobres, mas enriquecendo a muitos; nada tendo, mas possuindo tudo” (2 Coríntios 6:10). Dor e tristeza são fatos inevitáveis da vida, mas o Espírito Santo é a nossa fonte de contentamento.