Quando os jovens de minha igreja saíram para uma apresentação em praça pública, na cidade de Montego Bay, Jamaica, o maior problema que temíamos eram as queimaduras de sol.

O coral tinha ido até lá, para encorajar os cristãos e anunciar o evangelho por meio da música. Tinham esperado com entusiasmo por aquele evento. Na metade da apresentação, uma mulher bastante irada, que não gostou da mensagem da música, começou a gritar contra o coral. Aparentemente, ela não conseguiu suportar os hinos que honravam a Deus. Após alguns minutos de tensão, um espectador tentou acalmá-la. Seguiu-se uma briga e nós tivemos receio pela segurança dos jovens. Por fim, ela saiu correndo e o coral terminou o concerto.

Mais tarde, eu disse a uma das jovens: “Bem, não faremos isso de novo”, indicando que nossa prioridade era proteger os jovens que participavam do coral. Ela respondeu: “Se uma pessoa chegou a conhecer a Jesus, valeu a pena, apesar do perigo.”

Que resposta! Isso se assemelha à situação de Paulo, que estava disposto a sofrer a fim de que outros viessem a conhecer a Jesus (2 Coríntios 11:22-30). Aquela jovem estava preocupada com pessoas que ela nem conhecia. Isso é amor verdadeiro por Jesus — preocupar-se com pessoas e colocar as necessidades pessoais em segundo plano.