Lá dentro, ouvia-se a música. Do lado de fora, as folhas caíam. Com a rajada de vento, uma das últimas folhas do outono voou para cima, quando ouvi a frase: “Ele ressuscitou!” No final do hino, todavia, a folha estava caída ao chão. A gravidade vencera a brisa.

Mais tarde, ouvi três mulheres de meia-idade discutir sobre dietas, exercícios, cirurgias plásticas do rosto e outros esforços para desafiar a idade. Assim como a folha da árvore, elas tentavam evitar que a gravidade as empurrasse ao inevitável.

A conversa delas lembrou-me das boas obras que as pessoas fazem para tentarem salvar-se a si mesmas da morte espiritual. Mas assim como as folhas não podem evitar de cair e as pessoas de envelhecer, ninguém pode trabalhar o suficiente para evitar a consequência do pecado, que é a morte (Romanos 6:23).

Na crucificação, os zombadores desafiaram Jesus a salvar-se a si mesmo. Mas Ele colocou Sua vida nas mãos do Pai, e Deus, não somente, devolveu-lhe a Sua própria vida, mas também a nossa. Para receber a salvação, também precisamos simplesmente colocar nossa vida nas mãos de Deus, pois se o Espírito de Deus que ressuscitou a Jesus da morte vive em nós, Ele também nos dará vida (Romanos 8:11).

As forças externas do pecado não podem derrotar a vida de Cristo em nós.