Não muito longe de minha casa, as autoridades instalaram uma câmera para fotografar motoristas que ultrapassam o sinal vermelho. Depois, os infratores recebem, pelo correio, uma multa contendo a foto da transgressão, a prova visual de sua infração de trânsito.

Às vezes, penso em Deus da mesma maneira como penso naquela câmera — Ele está lá em cima, apenas esperando para flagrar-me fazendo algo errado. Embora Deus veja nossos pecados (Hebreus 4:13), Ele também vê e se interessa por nossas boas obras. Por meio da Sua vigilância sobrenatural, Deus vê o tamanho do nosso sacrifício quando ofertamos dinheiro à igreja ou aos necessitados (Marcos 12:41-44). Ele escuta nossas orações feitas em secreto (Mateus 6:6). E, quando jejuamos, podemos portar-nos como de costume, tendo a certeza de que nosso “Pai […] vê em secreto” (v.18).

Saber que Deus vê tudo nos livra de pensar sobre os olhos vigilantes dos outros. Quando fazemos o que é certo, não necessitamos do aplauso de espectadores; quando pecamos, não precisamos nos preocupar com nossa reputação se acertamos as contas com Deus e com aqueles a quem prejudicamos. Podemos descansar, sabendo que os “…olhos [do Senhor] passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é totalmente dele…” (2 Crônicas 16:9).