Um de meus hinos clássicos favoritos é “Fonte és Tu de toda Bênção” (HCC 17), escrito em 1757 por Robert Robinson, de 22 anos. Na letra do hino há um verso que sempre desperta minha atenção e me força a fazer uma autoavaliação. Ele diz: “O meu ser é vacilante: toma-o, prende-o com amor”. Às vezes, sinto-me assim. Com frequência, eu me encontro distraído e vagando, em vez de ter meu coração e mente concentrados no Salvador que me ama e se deu por mim. Robert Robinson e eu não estamos sozinhos nessa situação.

Nesses tempos de vagueação, o âmago de nosso coração não quer se desviar de Deus — mas, como Paulo, frequentemente fazemos o que não queremos fazer (Romanos 7:19) e necessitamos desesperadamente voltar ao Pastor do nosso coração, que pode nos conduzir de volta a Ele. Davi escreveu sobre sua luta em seu grande hino nas Escrituras, o Salmo 119, dizendo: “De todo o coração te busquei; não me deixes fugir aos teus mandamentos” (v.10).

Às vezes, mesmo quando nossos corações desejam buscar a Deus, as distrações da vida podem nos afastar dele e de Sua Palavra. Podemos ser gratos por nosso Pai celestial, que é paciente e compassivo, cuja graça é sempre suficiente — mesmo quando estamos inclinados a vagar!