A fé e as obras podem existir separadamente?

Os autores do Novo Testamento parecem estar tão preocupados em responder esta pergunta que algumas vezes dão a impressão de se contradizerem.

Em alguns textos, por exemplo, o apóstolo Paulo se esforça ao máximo para enfatizar que a salvação é exclusivamente pela fé sem qualquer vestígio ou traço de esforço humano (Tito 3:5). Em sua carta aos Romanos, ele escreve: “Mas, ao que não trabalha, porém crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é atribuída como justiça” (Romanos 4:5).

No entanto, em outras passagens, todos os escritores do Novo Testamento, incluindo Paulo, também enfatizam a necessidade de ação que demonstre a nossa fé e dê provas de um correto relacionamento com Deus. O apóstolo Tiago é muito conhecido por escrever como se discordasse de Paulo. Em sua carta no Novo Testamento, Tiago argumenta que a fé sem obras é morta. Ele inclusive chega ao ponto de dizer que “…uma pessoa é justificada por obras e não por fé somente” (Tiago 2:24).

Com o passar dos anos, muito tem sido escrito para esclarecer esta aparente contradição. No mínimo, a resposta é que ainda que ninguém seja considerado justo diante de Deus por mérito humano, também é verdade que sem ações que demonstrem nossa fé, nosso relacionamento com Deus permanece imaturo e quase inexistente aos olhos dos outros (Tiago 2:18,22).

Para manter este equilíbrio, meus colegas de trabalho de Ministérios RBC e eu declaramos por escrito a importância da fé que salva e da fé em ação para sempre lembrarmos.

Porque cremos…

* Porque cremos que a Bíblia é uma revelação confiável de Deus, queremos que nossas vidas reflitam o que as Escrituras nos ensinam sobre quem é nosso Criador, o que Ele valoriza e o que Ele quer fazer em nós e por meio de nós.

* Porque cremos na Trindade de Deus, queremos que nossos relacionamentos reflitam a unidade do propósito e a amorosa cooperação pelas quais o Pai, o Filho e o Espírito Santo cuidam um do outro.

* Porque cremos que Jesus Cristo é nosso Salvador, Mestre e Senhor, queremos que as atitudes que Ele tem com Seus amigos e inimigos sejam também nossas atitudes.

* Porque cremos que Jesus morreu em nosso lugar e ressuscitou dos mortos para viver Sua vida por meio de qualquer um que confie nele, queremos investir o resto de nossas vidas para que outros vejam que o sacrifício de Jesus por nós, é válido para eles também.

* Porque cremos que Jesus enviou Seu Espírito Santo para estar conosco e em nós, queremos viver com coragem e confiança que não vêm de nós, mas dele.

* Porque cremos em uma igreja, da qual Jesus Cristo é o Cabeça, queremos nos identificar com ela e demonstrar amor, pois esta é a família de Deus que ultrapassa todos os limites de distinção de idade, raça, gênero e classe.

* Porque cremos que Cristo faz de Seu povo embaixadores às nações, queremos participar de uma missão que transcende e alcança além das fronteiras de nação, etnias e religiões.

* Porque cremos que cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus, queremos estar tão cientes de nossos pecados que quando for necessário dar atenção aos erros de outros, o façamos com cuidado ao invés de prepotência e com verdades bíblicas ao invés de condenação.

* Porque cremos que somos mordomos da criação de Deus, queremos cuidar fielmente dos recursos espirituais, materiais e naturais que foram confiados a nós, para o bem de nosso próximo e para a honra de nosso Deus.

* Porque cremos na promessa do retorno de Cristo, queremos viver todos os dias de nossas vidas de maneira a refletir esperança ao invés de desespero, amor ao invés de ódio e gratidão ao invés de cobiça.

Certamente há perigos em um resumo como esse. Poderíamos ser como aqueles que fazem uma lista e consideram o trabalho feito. Sem reflexão sincera e contínua, poderíamos perder de vista como falhamos frequentemente em fazer nosso melhor. Sem nos lembrarmos da necessidade de fé e ações, poderíamos também esquecer que maturidade espiritual não é resultado automático da nossa salvação (2 Pedro 1:1-15).

Não podemos nos dar ao luxo de jamais deixar de pedir a nosso Deus que nos dê diariamente a graça que precisamos para demonstrar provas reais e contínuas de uma fé em ação.

Pai celestial, esquecemos tão rapidamente nossa necessidade de conscientemente caminhar por fé e não por vista. Presumimos tão facilmente que porque cremos em Teu Filho, teremos uma vida boa como consequência. Por favor, dá-nos hoje novamente a graça de que precisamos para mostrar Tua presença em uma fé que funciona.