Categoria  |  Pão Diário

Direto para o céu

Um antigo canto espiritual adverte: “Todos falam do céu mas não vão para lá”, pois lá é o lugar onde Deus habita e onde a Sua presença e glória se manifestam em todo o Seu esplendor. O Senhor tem o direito soberano de determinar quem será aceito lá e sob que condições. Qualquer outra crença sobre o como e o porquê seremos aceitos no céu infelizmente é errônea.

Corpos novos

Em 1728, um jovem chamado Ben Franklin compôs o seu próprio epitáfio. Aqui jaz para sustento dos vermes, o corpo de Benjamin Franklin, impressor, como a capa de um velho livro, seu conteúdo já desgastado, desprovido de suas letras douradas. Contudo, o trabalho não será perdido; pois aparecerá, como creu este homem, novamente, em uma edição nova e mais bela, corrigida e aperfeiçoada pelo Autor.

Renovo de 2 mil anos

Em 2006, os cientistas israelenses conseguiram fazer germinar com sucesso uma semente de palmeira de 2 mil anos. Encontrada no lado oeste do mar Morto, a semente foi rotulada como “Matusalém”, o homem com o registro bíblico de maior idade na Bíblia (Gênesis 5:27). Além do desafio de despertar uma semente há tanto tempo adormecida, a equipe também queria saber mais sobre a árvore elogiada nas Escrituras, por sua sombra, nutrição, beleza e qualidades medicinais.

Diga “não” à autoajuda

No início da minha carreira editorial, em publicações religiosas, fui responsável por uma linha de livros denominada de “autoajuda”. Este rótulo me incomodou porque parecia contrário a tudo o que é cristão.

Perdendo um amigo

Quando em 2005, os ônibus vermelhos de duplo convés, de Londres, foram retirados do serviço regular, muitas pessoas acharam que haviam perdido um amigo. Esses ônibus haviam oferecido um serviço de confiança por 51 anos, e eram populares entre os usuários devido ao fácil acesso de entrada e saída. Alguns dos antigos ônibus ainda são utilizados em duas rotas de turismo, mas no restante da cidade, já não circulam mais.

Por que temos valor?

Num discurso de formatura dirigido a uma classe de formandos universitários, um colunista apresentou estatísticas que ajudam a diminuir o nosso orgulho. Ele destacou que “o sol, ao redor do qual a Terra orbita, é uma de talvez 400 bilhões de estrelas da Via Láctea, que é uma galáxia ínfima”. E acrescentou: “Talvez haja 40 bilhões de galáxias no universo [...]. Se todas as estrelas do universo fossem do tamanho da cabeça de um alfinete, elas encheriam um estádio de futebol e ainda transbordariam mais de três bilhões de vezes.”

Beleza incomum

Para algumas pessoas, a palavra santidade suscita imagens de uma pessoa puritana que é “boa” no pior sentido da palavra, com rostos taciturnos e sombrios. Estão cheias de justiça própria e obrigações rígidas, “só na espera da próxima vida”, como se expressou o redator de um jornal.

Só pulo em braços grandes

Amenina de 4 anos se prepara para pular e diz ao seu pai: “Mais pra trás!” Ele volta um passo. A filha ri contente, bate palmas e pede para ele voltar ainda mais. Quando o pai já está a uma distância considerável, ela diz: “Aí tá bom!” O pai lhe estende os braços e a pequena voa de sua cama para os braços dele.

A boa vida

Dirigindo pela autoestrada, passei por uma placa que anunciava a “boa vida!” Cheguei mais perto e consegui ler que a “boa vida” significava comprar uma casa à beira de um lago a partir de meio milhão de reais. Isso me fez pensar em famílias infelizes que vivem numa dessas casas, com filhos que nunca veem seus pais ou em casais que — embora morem perto de um lago — talvez desejassem nunca ter vivido juntos.

A grande pandemia

Em 1918, foi diagnosticado que Albert Gitchell, um cozinheiro do exército americano, contraíra a gripe espanhola. Antes do término daquele ano, esta doença já havia dizimado cerca de 40 milhões de pessoas. Este vírus altamente contagioso tornou-se uma epidemia global.

Vivendo plenamente

Uma revista de barcos mostra que alguns dos nomes mais populares para eles são: Serenidade, Enrolando o Tempo, Intervalo e Descobertas Casuais. Há pouco tempo, vi o nome Vivendo Plenamente num barco. Não estou segura do que isso significava para o proprietário do barco, mas para muitas pessoas “vivendo plenamente” significa ter as melhores propriedades, férias em lugares exóticos, comprar o que quiser, viver de forma extravagante.

Nosso refúgio e fortaleza

Em agosto de 2004, o furacão Charley trouxe uma violenta destruição para certas áreas na Flórida, EUA. Durante o temporal, um jovem de 25 anos saiu do local onde estava à busca de proteção num dos seus lugares favoritos, um barraco debaixo dos galhos protetores de uma figueira-de-bengala. Mas a árvore caiu sobre o barraco e o matou. Algumas vezes, os lugares em que buscamos segurança podem ser os mais perigosos.