Our Authors

ver tudo

Articles by richard de haan

Como ser feliz

Todos querem ser felizes, mas muitos falham em sua busca para encontrar este prêmio ilusório porque o procuram no lugar errado.

Tópicos relacionados

> Estudos

Páscoa e o perdão de Deus

A morte de Cristo teve alcance ilimitado e por Ele recebemos o perdão pelos pecados passados, presentes e futuros. O perdão de Deus é de uma vez por todas e completo.

Família dos sonhos?

A autora, Elisa Morgan, diz que nós aceitamos o mito da família perfeita e afirma: “Promessas prontas a respeito da família podem ter surgido com boas intenções, mas esta forma de pensar não é realista, em nada ajuda e nem faz bem.”

A família é uma instituição imperfeita. Pessoas desestruturadas se tornam pais desestruturados que constroem famílias sem estrutura. Mas, na…

Os dois ladrões

No ano 33 d.C. a crucificação de três homens mudou o curso da história. Seus executores martelaram lhes os pulsos e tornozelos. Cena comum naquela época, e ainda falamos sobre elas hoje. Um deles morreu sentindo-se culpado e com culpa sobre si. Outro morreu como pecador, mas sem a culpa sobre si. O terceiro morreu com a culpa sobre si,…

> Pão Diário

Fome espiritual

Em uma história de ficção, um vírus destrói as plantações do mundo. Não somente os jardins, mas os cereais, incluindo trigo, cevada, centeio, aveia e arroz. Em meses, o mundo mergulha na fome e na violência. As pessoas começam a lutar; depois a matar, por comida.

Perfeito para sempre

Quando visitei os EUA, uma marca comercial chamou-me a atenção por ser igual ao meu sobrenome, e fiquei imaginando se seria chinesa ou coreana. Depois soube que não era uma nem outra: era o nome de uma menina. Um fabricante deu o nome de sua filha ao seu produto. Sara Lee, a filha, disse que o pai queria que o produto “fosse perfeito, já que levava o nome da filha”.

Esquecendo Deus

Um erudito da Bíblia chamado A. J. Heschel relata uma história da época em que era estudante em Berlim. Embora fosse homem devoto, começou a se preocupar tanto com as artes daquela brilhante cultura que um dia deixou de orar ao entardecer, como era seu infalível costume. Ele admite: “O sol havia se posto, a noite chegara […] e eu havia esquecido de Deus.”