Arquivos: dezembro 2012

Pensamento final

Ao aguardarmos o Ano Novo com planos e resoluções, as vozes de homens piedosos do passado nos incentivam a pensar sobre algo que preferimos ignorar — nossa própria morte.

Uma carta duradoura

Os fundadores de uma renomada loja de artesanato são cristãos. O presidente dessa empresa, tem paixão pelas Escrituras e pretende montar um museu da Bíblia, que exibirá livros raros e manuscritos de todo o mundo. Ele disse: “Estamos interessados em […] incentivar pessoas a considerarem o que [a Bíblia] tem a dizer […] O objetivo é criar um museu em torno da história da Bíblia. Nenhum outro livro foi tão perseguido ou amado. Sua incrível história precisa ser contada.”

Bendiga os limites

Em todos os anos em que trabalhei com pessoas, nunca encontrei alguém cuja vida estivesse totalmente confusa por ele ou ela ter seguido os preceitos divinos. Contudo, num dia em que a liberdade pessoal é celebrada como um direito inalienável, falar em conformar nosso estilo de vida à maneira de Deus é, frequentemente, visto como uma infração. E qualquer um que se posiciona em favor dos limites de Deus é considerado exorbitante. Mas, nesse frenesi por liberdade, não deve passar despercebido que nossa sociedade é cada vez mais marcada por um assombroso senso de insignificância e desespero.

Vento e fogo

Às vezes, quando desejo acender uma fogueira, o vento a apaga. Mas, quando tento apagar uma fogueira, o vento a mantém acesa. Assim, na primeira situação, chamo-o de “mau”, porque frustra meus planos; na outra, eu o chamo “bom”, porque ele me ajuda a realizar meu desejo.

Uma estratégia vencedora

Durante meus dias de técnico de basquetebol numa escola de Ensino Médio, cometi um enorme engano. Enviei alguns de meus jogadores para espiarem uma equipe adversária. Eles retornaram com o seguinte relatório: Podemos derrotá-los facilmente. Hiperconfiantes, perdemos para aquela equipe. Isso lhe soa familiar? A mim, faz lembrar a situação em Ai, quando Josué enviou seus espias, que julgaram equivocadamente a força do adversário.

Mãos limpas

Parece que, onde quer que vá nestes dias, você vê avisos incentivando as pessoas a lavarem suas mãos. Com a constante ameaça de germes e vírus disseminando doenças entre o público em geral, os agentes de saúde nos lembram continuamente de que mãos sujas formam o maior agente isolado da disseminação de germes. Assim, além dos avisos exigindo o vigilante lavar das mãos, os lugares públicos frequentemente fornecem desinfetantes para as mãos, para ajudar-nos a tomar cuidado com germes e bactérias.

Uma mensagem de Deus

Ray Tomlinson, em 1971, fez experimentos sobre a interação de pessoas com computadores. Ao enviar uma mensagem de seu computador, através de uma rede, a outro no escritório, enviara o primeiro e-mail. Agora, décadas depois, mais de um bilhão de e-mails são enviados todos os dias. Muitos com notícias importantes de familiares e amigos, mas outros podem levar propaganda indesejada ou vírus. A regra básica que rege o uso do e-mail é: “Não abra se não confiar no remetente.”

Momento de graça

Todo ano, gosto de escutar, pela rádio BBC Mundial, a transmissão ao vivo do culto de véspera de Natal diretamente da capela de uma universidade na Inglaterra. Este Festival de Nove Lições e Cantos combina leituras das Escrituras, orações e música coral num comovente culto de adoração. Certo ano, fiquei impressionado com a descrição da congregação saindo da magnífica capela, em que o locutor disse que as pessoas estavam “saindo desse momento de graça e voltando ao mundo real”.

Natal do arado

Em seu livro Christmas 1945 (Natal de 1945), Matthew Litt relata a primeira celebração de Natal em tempo de paz nos EUA após a Segunda Guerra Mundial. Um jornal da cidade de Nova Iorque alertou seus leitores a esperarem uma frota de navios de guerra no porto de Nova Iorque: “O dia de Natal encontrará uma poderosa armada, formado por 4 encouraçados, 6 porta-aviões, 7 cruzadores e 24 contratorpedeiros.” Mas, em vez de promover guerra, os navios militares abrigavam mil crianças necessitadas.

Os céus proclamam

Você não precisa passar muito tempo olhando o céu à noite para deslumbrar-se com a maravilha da tremenda admirável criação de Deus. A gigantesca extensão de galáxias e a massa nebulosa da nossa própria Via Láctea nos lembram da espetacular criação e da permanente obra de Jesus, em quem tudo subsiste (Colossenses 1:16-17). É como se todos nós tivéssemos poltronas de primeira fila no teatro do poder criador de Deus.

Doces palavras

Sérgio sempre admirara o relacionamento entre seus sogros. Por isso, um dia, ele lhes perguntou o que fazia o casamento deles ser feliz e o sogro respondeu: “Você precisa mantê-lo doce!”

1 Coríntios 13:8

Repetidas vezes nestes dias quando considerei a palavra para este mês meus pensamentos
voltaram no texto de 1 Coríntios 13:8. Descartei a ideia várias vezes, mas ela persistiu. Falo do
verbo “cessar” em torno do assunto de “línguas”. Eis então a relutância em abordar este verbo,
pois não quis entrar nos méritos da prática da mesma no século 21. Não…